quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O homem ou a serpente? Quem vence essa disputa?

Um dia desses estive pensando se pode haver alguma semelhança entre a serpente e o ser humano. A conclusão chegada é que não há. O que existem são diferenças, que podem até nos levar a questionar quem é mais irracional. Aqui vão algumas diferenças entre um e outro. A serpente só ataca quando se sente ameaçada ou está com fome. Quando percebe que pode estar sendo caçada ou que alguém pode atacá-la, ela já prepara o bote para se defender de algum predador que pode estar por perto. Ela morde, e o seu veneno tóxico pode levar a pessoa à morte, caso não receba imediatamente o soro curador.
Com o ser humano isso não acontece. Ele ataca, mesmo sem se sentir ameaçado. Quando é ofendido, ou acontece qualquer outra coisa que não lhe agrade, já tenta destilar seu veneno em quem ele pensa que o está atingindo.  Não é necessário ataques de predadores. O ser humano ataca sempre que se sente, ou que imagina estar sendo ameaçado. É difícil dizer quem é o mais irracional nessas horas. Outra diferença é que a serpente exala o veneno e ele penetra na corrente sanguínea de quem é mordido. O ser humano inala o veneno dele próprio e muitas vezes, é ele que termina sendo atingido. O veneno da serpente, às vezes mata instantaneamente, o do ser humano vai envenenando aos poucos o interior de quem o inala. O veneno do ser humano é exalado para atingir o “adversário”, porém grande parte dele não sai, ele fica dentro. Irracionalmente, o ser
humano envenena a si próprio.
Nesse caso, sua morte é lenta. Ele morre não só fisicamente, como também espiritualmente. A Palavra de Deus é clara quando diz que devemos amar ao próximo como a nós mesmos, porém quem age dessa forma não se ama, e nunca vai poder amar ao próximo. Aos poucos, ele vai se envenenando, achando que o outro é quem está sendo envenenado. Ele cai numa arapuca preparada gradativamente por ele mesmo. 

É essa a diferença, a serpente exala o veneno, fere o ser humano de morte ou não, e o homem inala o veneno que ele mesmo preparou para ele, através dos ódios, raivas e uma série de outros sentimentos negativos, pensando que está atingindo a terceiros. “O tolo, ou insensato, não tem prazer na sabedoria e no entendimento, mas sim em que se manifeste o que está em seu pensamento e aquilo que agrada o seu coração e em fazer valer seu modo de vida” Pv 18-2, pois de sua boca só sairá o que está em seu coração, ou seja veneno. Assim, somos nós quando não nos livramos das coisas negativas que estão dentro de nós.
A minha oração é que: o Senhor derrame um “soro curador” em nossos corações, limpando e removendo todo veneno que se encontra em seu interior.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!
            




quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A boca fala do que está cheio o coração.

Gostaria de compartilhar com vocês através desse texto, do que está cheio o meu coração. Ontem ao voltar de uma saída, perto de minha casa, o sol estava muito forte, moro em uma região muito seca, e já faz mais de quatro meses que não chove. Como já disse o sol estava muito forte e minha cabeça estava quente, o ar estava seco e eu desejava um copo de água com urgência. Porém, qual não foi minha surpresa? Meu coração estava sereno, tranquilo e em paz, e ao invés de murmurar, eu glorificava a Deus com todas as minhas forças.

Estava super agradecida a Deus por poder estar ali, naquele sol causticante, sentindo muita sede e cansaço, meu coração glorificava, e bendizia àquele que deu a permissão para que eu pudesse estar experienciando tudo aquilo.


Que maravilha Senhor! Meu corpo funcionando muito bem, minha mente clara e avivada, e acima de tudo, todo o meu íntimo resplandecia de alegria, por sentir que o SENHOR o Deus Todo Poderoso estava de posse de minha vida e de tudo o que eu estava realizando. Sentia-me ungida pelo óleo santo da alegria, disposição, saúde, bem estar e felicidade.
A mim, parecia que esse óleo vinha diretamente do trono de Deus e que eu havia sido escolhida e agraciada para sentir toda alegria que estava sentindo. Eu andava na rua e glorificava em voz alta, e os que passavam por mim, deveriam estar achando que eu era louca. Realmente não me importava com isso, pois: “As coisas que vem de Deus, não se enquadram com as coisas deste mundo, na verdade para o mundo parece loucura.” I Co 1-27. Por isso não me importei, que pensassem o que quisessem!
O mais importante para mim, era agradecer, glorificar, bendizer ao SENHOR por todas as coisas que estava sentindo. Meu coração estava cheio de alegrias e virtudes e eu precisava externar isso, mesmo que parecesse loucura aos olhos das outras pessoas. “O meu coração está firme, ó Deus, bem firme; eu cantarei hinos em teu louvor.” Sl 57-7.

“Por isso o meu coração está feliz, e as minhas palavras são palavras de alegria;” At. 2-26. “Estou certo de que o Senhor está sempre comigo; ele está ao meu lado direito, e nada pode me abalar. Por isso o meu coração está feliz e alegre, e eu, um ser mortal, me sinto bem segura, porque tu, ó Deus me proteges do poder da morte.” Sl 16.8-10. Era assim que estava me sentindo, amada, acolhida, protegida por Deus, e por isso, até me esqueci de que estava com sede.
Se a boca fala do que está cheio o coração, por que não falar que meu coração transbordava de felicidade, uma felicidade vinda diretamente de Deus e de seu Santo Espírito. Se servimos a um Deus que nos livra do mal e está ao nosso lado, só podemos ter nosso coração cheio de alegria e contentamento, e devemos externar todo esse sentimento.
Por isso, amados, encham seus corações de alegria, de paz, serenidade, felicidade, e deixe a sua boca externar o que vai em seu coração. Se enchermos nosso coração de sentimentos ruins, o que sairá de nossa boca? Devemos tentar purificar, edificar, e não envenenar as pessoas com o que sai de nossa boca.
“Todos os dias são difíceis para os que estão aflitos, mas a vida é sempre agradável para as pessoas que têm o coração alegre.” Pv 15-15.
Soli Deo Gloria!


quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Assunto polêmico. Vestes brancas ao que vencer.

O nome do crente pode ser retirado do Livro da Vida?

            Um grande número de crentes em Jesus não acredita que seus nomes possam ser retirados do Livro da Vida. Alegam que Deus não anda com uma borracha apagando e escrevendo esses nomes. Bela ilustração! Só que Deus é soberano no que diz respeito à salvação de seus filhos. E, Ele pode escrever e apagar o nome de quem Ele quiser, por isso Ele é Deus. 
Ele enviou Jesus para nos livrar do pecado e o Novo Testamento nos esclarece de que forma isso aconteceu. Jesus é o cumprimento do que foi dito pelos Profetas no Antigo Testamento. Porém, lá no livro do Êxodo no capítulo 32 verso 32 e 33 diz o SENHOR: “Agora, portanto, eu rogo a tua misericórdia para que lhe perdoes o pecado; caso contrário, risca-me, rogo-te, do teu livro sagrado que escreveste! Então, respondeu o SENHOR a Moisés? Sim! De fato riscarei do meu livro todo aquele que pecar contra mim”. Ex 32.32-33. Nessa Palavra o SENHOR demonstra sua total soberania sobre nossas vidas. E deixa bem claro que poderá sim, retirar, apagar o nome daquele que pecar contra ele.
No capítulo 5 do Evangelho de Mateus nos versos 17 e 18 Jesus diz: “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim ab-rogar, (por fora de uso) mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei sem que tudo seja cumprido.” Mt 5.17-18. Está totalmente claro que Jesus não tinha nenhuma intenção de mudar a Lei, principalmente no que diz respeito às leis morais. As leis do A. Testamento eram divididas em cerimoniais, morais e civis. As leis cerimoniais diziam respeito à adoração por parte de Israel, elas apontavam para a vinda de Cristo. Após a vinda, morte e ressurreição de Jesus não seriam mais necessárias, ficando somente os princípios de adoração ao Deus Santo. A lei civil se aplicava a vida cotidiana de Israel, ficando os princípios éticos valendo até hoje.
Já a Lei moral (os dez mandamentos) é a ordem direta de Deus, exige uma obediência total, pois revela sua natureza e vontade. Assim ainda se aplica em nossos dias. Jesus obedeceu completamente à lei moral. E são essas leis que devemos seguir e obedecer sob pena de termos nossos nomes riscados do livro da vida.
Jesus não anulou os mandamentos Ele acrescentou, como está em Mt 5 do verso 21 em diante. Não era necessário tirar a vida de alguém para estar pecando, bastava apenas se irar a ponto de odiar alguém já teríamos cometido assassinato em nosso coração. Se chamarmos um irmão de “raca” (palavra que exprime desprezo) ou se chamarmos alguém de louco ou idiota já seríamos réus do inferno. Mt 5-22. Com relação ao adultério, não era necessário chegar às vias de fato, bastava apenas à cobiça, que já teríamos cometido adultério.
Enfim são muitos os pecados que podemos praticar para termos nossos nomes retirados do livro da vida. E não é difícil. Quantas vezes chamamos alguém de idiota, louco, cobiçamos algo de alguém, alimentamos pensamentos ruins de ódio e amargura por tantas pessoas. Tudo isso é pecado e passível de inferno.
Finalizando, no livro do Apocalipse, nos capítulos 2 e 3, existem algumas referências sobre ao que vencer: O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.” Ap 3-5. E finalmente: “Mas aquele que perseverar até o fim será salvo.” Mt 24-13. 
Deus é soberano e pode tudo.
Honra e glória somente a ti, Senhor!





terça-feira, 5 de novembro de 2013

Os caluniadores, maldizentes e injuriosos, não herdarão o Reino de Deus.

O Apóstolo Paulo de Tarso em sua carta aos coríntios confronta o povo, sobre o quanto eles estavam se dando a práticas totalmente contrárias aos ensinamentos de Jesus. Especificamente, falaremos nesse texto sobre os caluniadores, que é a mesma coisa que maldizentes ou injuriosos. “nem ladrões, nem avarentos, nem viciados em álcool ou outras drogas, nem caluniadores, nem estelionatários herdarão o Reino de Deus”. I Co 6-10


O dicionário nos esclarece que calúnia quer dizer: acusação falsa que fere a honra ou reputação, mentira e invenção. Diz também que caluniador é aquele que profere calúnias, e que caluniar é o mesmo que ofender, difamar por meio de acusações conscientemente falsas.

Maldizente é quem costuma falar mal dos outros, que é o mesmo que maledicente e difamador. Mas, o que vem a ser injúria? Segundo o dicionário, é o ato ou expressão altamente ofensiva, insulto, é uma violação do direito de outrem. Agora, nos perguntamos: Por que, o que fala mal dos outros, ou que só faz fofocas de vez em quando, não herdará o Reino de Deus? E, os que ofendem? 


Somos ofendidos muitas vezes em nossas vidas, e muitas vezes também ofendemos e não temos a mínima ideia de que isso pode nos acarretar a não entrada no Reino dos céus. Parece muito pouco para uma pena tão grande não é mesmo?Vamos meditar um pouco sobre o assunto.


Quem nasceu de novo, passa a ser um verdadeiro cristão. A partir daí, o que nasceu de novo, deve ter em seu coração a mente de Cristo, e, é essa a transformação que nos dará o direito de adentrarmos no Reino de Deus. Quando possuímos a mente de Cristo em nossos corações seremos controlados por Deus em nossos pensamentos e realizações. 

Devemos nos entregar nas mãos do Senhor para que possamos experimentar o Seu poder na transformação dos traços nocivos de nosso caráter e personalidade. “E não vos amoldeis ao sistema desse mundo, mas sede transformados pela renovação das vossas mentes, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”. Rm 12-2. 


Enquanto isso não acontecer, continuaremos sendo do mesmo jeito que antes. Mergulhar em uma piscina e levantar a mão sinalizando que aceita Jesus, não vai adiantar nada se a pessoa de fato e de verdade não passar pelas transformações de caráter, deixando-se moldar pelo caráter de Cristo. Necessário se faz abandonar os maus caminhos. Será que estamos dispostos a abandonar tudo o que era velho para que realmente tudo se faça novo? Pensemos nisso com carinho.

Soli Deo gloria!


Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics