segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Os animais e a Palavra de Deus.

Dia desses, na televisão, nos foi mostrado à maldade que algumas pessoas fizeram com um cachorro. Queimaram o animal com produtos químicos deixando-o em carne viva. Num outro dia uma mulher agrediu um cachorrinho até a morte. Em que tipo de sociedade estamos vivendo? O homem que é justo deve ter consideração com os animais. Quando ele é bom, ele é sensível para respeitar e cuidar do bem-estar dos animais. Agindo com crueldade o homem torna-se desumano, ele age da mesma forma que o incrédulo, não respeitando à criação de Deus. Sim, porque os animais foram criados por Deus tal qual os seres humanos. Quem não age com bondade com os animais, agirá da mesma forma com o ser humano.
Um princípio estabelecido pelas Escrituras é afirmar que, de fato, os animais possuem certos direitos concedidos por Deus. Por exemplo, o Senhor vê o zelo e a preocupação da pessoa com a vida do animal como algo reto e bom aos seus olhos, enquanto que a crueldade com os animais é perversidade, e Ele não se agrada disso. “O justo olha pela vida dos seus animais, mas as misericórdias dos ímpios são cruéis.” Pv 12-10. 
Nos tempos bíblicos, existia uma lei que proibia que o boi fosse amordaçado enquanto os cascos de suas patas separavam o grão das espigas. Se isso acontecia, para Deus seria o requinte da crueldade, pois o mesmo não poderia comê-lo. Paulo dizia que não devemos agir com avareza com os que trabalham para nós. Isso incluía os animais. O Senhor desde sempre, nos mostrava o princípio da importância de agirmos com respeito, consideração e bondade com os animais irracionais.

A questão é que animais têm direito de serem tratados com sabedoria e gentileza, e não com crueldade. Deus presta atenção em como tratamos os animais. Devemos tratar os animais com a mesma bondade com que o Senhor os trataria. Ele nos concedeu poder para governar e dominar os animais, não maltratá-los. O Senhor também protegeu Noé, sua família e os animais que estavam com ele na arca.
No livro do Profeta Joel, ele poeticamente retrata os animais que se colocaram a clamar ao Senhor gemendo de fome e sede. “Até os animais selvagens pedem socorro a ti porque os rios secaram, e por toda parte a seca acabou com o capim.”  Jl 1-20.
Quer você ser tratado como alguém que age com retidão, que recebe as misericórdias do Senhor todos os dias; quer que Ele o reconheça como alguém bondoso? Então haja com bondade também com os animais, cuide deles, alimente-os, mantenha-os limpos e asseados, leve-os ao veterinário, forneça água com abundância para que ele possa matar a sede. Faça ao animal o que gostaria que fizessem a você. Com certeza no dia do julgamento, você será tratado com todo interesse por parte do Senhor.
Honra e glória somente a ti, Senhor!


quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Jesus o único que mata a nossa sede.

Quem será o rei que reinará com justiça, que a Palavra de Deus nos fala? Ele será o varão que guardará e esconderá o seu povo contra o vento, será o refúgio contra as tempestades, e quem o seguir, sua vida será como os ribeiros de águas em lugares secos, e terão a sombra de uma grande rocha em terra sedenta. Esse rei é Jesus de Nazaré. O que guarda e protege os seus, de injustiças, e acolhe com amor de Pai. Ele próprio governa com justiça.
Jesus já esteve conosco em carne e, a profecia de Isaías já se cumpriu há cerca de dois mil anos atrás, porém, hoje Ele nos proporciona tudo isso. E até os dias de hoje, quem n’Ele crê, continua recebendo todas essas bênçãos. Jesus reina em nossa vida, se o permitirmos, com justiça, nos dando refúgio, satisfação, conforto, abrigo.
          Quem é o rei de sua vida? Quem lhe proporciona tais maravilhas? Refúgio, proteção, satisfação, conforto? Quem pode nos proporcionar rios de água viva a correr de nosso ventre? “Quem crê em mim, como diz a Escritura, rios de água viva correrão de seu ventre.” Jo 7-38. 
Jesus estava dizendo que quem for saciado por Ele, se tornará um rio, onde outros poderão beber e se saciar também. Podemos, não só ter nossa sede saciada como também poderemos conduzir outros a ter as mesmas bênçãos. Embora os líderes humanos tenham alguma coisa a nos oferecer, devemos manter os nossos olhos em Cristo, este sim, é o nosso líder supremo. Jesus é diferente dos líderes humanos, pois não há a menor possibilidade de que Ele mude, Ele é imutável, pois: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente.” Hb 13-8. É a esse Rei que devemos seguir até de olhos fechados. Jesus de Nazaré, o nosso Rei, o que nos governará para sempre.
Honra e glória somente a ti, Senhor!
Soli Deo Glória!

          

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A busca por Jesus.

A Bíblia relata no Evangelho de João o discípulo amado, que Nicodemus um dos membros da suprema corte dos judeus, procurou Jesus para lhe conhecer mais de perto, e lhe fazer algumas perguntas acerca do que significava nascer de novo. Provavelmente ele foi à noite porque tinha receio de ser visto com Jesus e ser acusado de pertencer à seita dos cristãos.
          Ele poderia ter enviado um assistente, dada a posição que ocupava no Sinédrio, porém, preferiu ir pessoalmente. E nós? Como agimos quando precisamos falar com Jesus? Sabemos o caminho, e vamos direto, ou usamos um atalho?
Geralmente, vivemos a pedir que alguém ore por nós, interceda por nós e expresse aqueles que são os nossos sentimentos para Jesus. Não é isso o que Ele quer. Ele deseja a nossa fidelidade, a nossa proximidade, a nossa intimidade. Como Nicodemos, devemos buscar o que queremos para termos a nossa experiência diretamente do Mestre, pois ninguém poderá fazer isso por nós. 
Devemos buscá-lo de dia, de noite, a qualquer hora, e assim como Nicodemos, devemos buscá-lo secretamente, pois assim, não incorreremos no erro de sermos vistos por ninguém, e nos tornarmos como os fariseus que gostavam de aparecer em público, atitude essa, condenada por Jesus. “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu pai que está em secreto; e teu Pai que vê em secreto, te recompensará publicamente.” Mt 6-6.
          Jesus nos ensinou através de seus discípulos que não devemos orar em público, e sim, devemos nos comunicar particularmente com Deus. Essa é a essência da oração. Há lugar para a oração em público, mas quando alguém deseja orar onde os outros poderão notar, ela não estará se dirigindo verdadeiramente a Deus. É preciso haver persistência na oração, privacidade, e um coração sincero para orar. Não se ora de qualquer maneira. É necessário, termos a humildade de esperarmos o tempo certo de Deus responder as nossas orações. Por ter buscado Jesus pessoalmente, a fé de Nicodemos que era pequena, tornou-se uma grande fé, e, ele mais tarde tornou-se um cristão. Não mandou ninguém em seu lugar, não pediu nada a ninguém, foi direto, mesmo correndo riscos de ser visto e condenado por todos os outros membros do Sinédrio (tribunal dos judeus).
É assim que o verdadeiro cristão deve agir. Pedir, clamar, buscar, se derramar diante daquele que é a própria fonte de tudo o que precisamos, e aguardar o tempo certo para as respostas.
          Honra e glória somente a ti, Senhor!
          

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Sou um verdadeiro seguidor de Cristo?

Observando alguns cristãos ultimamente, chego à conclusão de que não está sendo fácil ser um seguidor de Cristo nos dias de hoje. No passado também não foi. Só que no passado, os apóstolos foram perseguidos, maltratados, apedrejados e suportaram tantos outros castigos, tudo em nome de Jesus. Hoje, continua sendo difícil, porém, de maneira diferente. Temos visto que as pessoas se dizem seguidoras de Cristo, mas na verdade dizem que seguem, por puro medo de não serem salvas, não conseguindo, deixar por completo suas velhas práticas pecaminosas.
          Não devemos ter medo de Deus, e sim andar em temor, ou seja, devemos ser reverentes ao Senhor, ao nosso Criador e Pai. Se temos medo é porque não estamos agindo de acordo com a vontade d’Ele.
Alguns têm recebido dinheiro a mais nos trocos de suas compras, e não voltam para devolver, não se preocupam se outros terão que pagar por elas. Pessoas idosas e não idosas, tropeçam e caem nas ruas e os que estão em volta, ao invés de ajudá-las a se levantar, riem do tombo, e se houver algum descuido por parte do acidentado, levam a sua bolsa com seus pertences. É triste observar que não há mais respeito dos filhos por seus pais, avós, irmãos, companheiros, enfim, a falta de respeito está tomando conta do mundo.
A pornografia, e crimes de todo tipo tomam conta da televisão, cinemas e internet. As drogas estão invadindo as casas, e matando famílias inteiras. Se não matam fisicamente, matam espiritualmente, pois todos ficam com suas almas em frangalhos. 
A volta de Jesus é iminente, e se não mudarmos nossos velhos hábitos, seremos pegos com nossas lamparinas totalmente sem óleo, para a alegria daquele que é o senhor do mundo.
 Todos nós, diariamente lutamos com nossas fraquezas, pedimos perdão ao Senhor por nossas falhas, o que é um bom sinal, o que indica que queremos ser ajudados e perdoados por termos errado. Porém, é preciso querer ser ajudado, é necessário o reconhecimento dos erros para que possamos receber ajuda.
          Alguns desejam ajuda, mas não querem pagar o preço. O SENHOR Deus não se aproxima daqueles que não se arrependem verdadeiramente e O buscam. É preciso arrependimento, com integridade total para que o Senhor se volte para nós e nos aceite legitimamente como seus filhos.
Outros, vão à igreja aos domingos, e durante a semana freqüentam locais que não condizem com a condição de cristãos.Depois da igreja, chegam em casa, agridem os filhos, cônjuges, assistem filmes pornográficos, tomam bebida alcoólica até a exaustão, alegando que estando em sua própria casa, isso é permitido. Deixam sua natureza pecaminosa prevalecer sobre o lado espiritual. O cristão não pode ficar dividido dessa maneira. A quem pensam que enganam, a Deus? Não. Ele vê tudo e a todos. Jamais poderão enganá-lo. E mais tarde, todos nós seremos julgados por nossos atos. “Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras.” Ap 2-22.
Não podemos agradar a dois senhores. “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamon.” Mt 6-24.
Enquanto os cristãos não mudarem a sua maneira de agir em relação ao próximo e a eles mesmos, não poderão contar com as benesses do Pai. Ele é amoroso, porém, quem ama, educa, e, é assim que Ele age conosco, seus filhos. “Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra.” Tt 1-16. 
Por tudo isso é que não estou entendendo mais alguns cristãos, pois as promessas do Senhor não são de dias sem aflições, sabemos que estamos numa luta incansável entre o dono mundo e Deus. “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” Jo 16-33. 
Jesus disse a seus discípulos e aos que estavam por perto: “Renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me.” Mt 16-24. Será que estamos dispostos a renunciar a nós mesmos, passar por momentos aflitivos, e ainda por cima carregar a cruz, símbolo de morte, para seguir Jesus? Talvez esteja aí a resposta que procuramos ao buscarmos verdadeiros cristãos, e a grande dificuldade em encontrá-los.
Não é fácil ser um verdadeiro seguidor de Cristo. Será que de fato e de verdade estamos dispostos a segui-lo? Para sermos verdadeiros seguidores de Cristo, devemos, definitivamente tomar nossa cruz e pregarmos nela todas as iniqüidades que um dia fizeram parte de nossa vida. É preciso real arrependimento e a disposição para um novo nascimento. “Meus filhinhos, por quem de novo sinto as dores de parto, até que Cristo seja formado em vós.” Gl 4-19. É necessário deixar-se moldar por Cristo. “Porquanto se, depois de terem escapado das corrupções do mundo, pelo conhecimento do Senhor e Salvador Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior do que o primeiro.” II Pe 2-20.
Se depois de conhecermos a Jesus, nos voltarmos novamente para a imoralidade, e nos deixarmos tornar mestres de vida pecaminosa, verdadeiramente o último estado se tornou pior do que o primeiro. O que vocês desejam para suas vidas? A escolha é sua.
Honra e glória somente a ti, Senhor!
          

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O que é o carnaval?

O carnaval estará chegando nos próximos dias, como todo ano acontece. Segundo alguns dicionários, carnaval significa: Período de festas profanas de origem medieval, compreendido entre o dia de Reis e a quarta feira de cinzas, período que compreende os três dias que precedem a Quaresma, durante o qual, com o afrouxamento das normas morais, se dá o irromper de recalques, por meio de danças, cantos, trejeitos, indumentária diversa da habitual etc. Folguedo, orgia.
E o que vem a ser orgia? Mais uma vez o dicionário vem em nosso socorro. Orgia quer dizer: Bacanal, festa de prazeres licenciosos, (prazeres desregrados, sem freio, que excede os limites do lícito, devasso, libertino), desordem, anarquia, tumulto, excesso, desperdício. Depois de todas essas explicações do dicionário, chegamos à conclusão de que o carnaval não é algo de Deus. Não procede de Deus não tem nada a ver com o Criador, e sim com a criatura.
Hoje, podemos ver no Brasil em diversos locais, onde ele é muito comemorado, grupos que cobram importâncias exorbitantes para que o homem possa participar das quatro noites de libertinagem, devassidão, de prazeres ilícitos, desregrados, totalmente sem freio. Isso porque no ano anterior ele esteve recalcado, estressado, sofrido, e passou por “momentos difíceis.” Aí chega o carnaval, e com isso, é possível exceder todos os limites onde houve freios o ano todo, “porque no carnaval todas as normas morais são afrouxadas e eu posso colocar para fora tudo o que esteve reprimido dentro de mim”. Há que ter muito dinheiro para gastar em nome de tal “afrouxamento”. Com essa quantia muitas pessoas poderiam ser alimentadas, os que passam toda sorte de necessidades. Fome, frio, doenças e tantas outras. Para ajudar alguém necessitado, nunca temos dinheiro, mas para comprar um abadá, (roupa própria dos trios elétricos para o carnaval) o dinheiro aparece, nem que tenhamos que passar fome o ano inteiro. 
O que vemos são pobres de “marré de si”, empobrecendo cada vez mais, financeiramente e espiritualmente, e enriquecendo quem já está muito rico, como é o caso dos trios elétricos que animam o carnaval em nosso Brasil.


Os valores estão totalmente trocados em nossa sociedade. Ou melhor, não existem mais os verdadeiros valores que aprendemos com nossos pais quando pequenos. Sem falar daqueles que sabem que o carnaval não é de Deus, e mesmo assim vão em busca de divertimento profano. Sabemos que o pecado pode ser cometido todos os dias, porém o carnaval é propício para o pecado. É a época em que os acidentes de trânsito, devido ao excesso de bebidas alcoólicas, se multiplicam.

Fomos criados por Deus e, é normal que queiramos nos aproximar d’Ele. Porque não procuramos por aquele que nos criou, ao invés de tentarmos preencher nosso vazio existencial através de prazeres efêmeros que não procedem de Deus? Esse vazio existencial só pode ser totalmente preenchido por Deus, e nada nesse mundo tem esse poder. Depois que tudo termina, vemos que o feriado acabou, corremos todo o tipo de risco, gastamos o dinheiro que não tínhamos e que poderia ter sido usado em algo útil, e o pior percebemos que continuamos totalmente frustrados, pois o efeito “adrenalina” do carnaval é passageiro, e novamente observamos que ainda estamos angustiados, só que agora mais pobres e muito mais pecadores. Percebemos que continuamos sem o total preenchimento que fomos buscar durante os quatro dias de folia. Só Jesus pode nos preencher. Para que possamos ser cheios de Deus, devemos estar em consonância com Ele todos os dias do ano, inclusive no carnaval, pois não existe nenhuma cinza milagrosa que colocada sobre a testa vá nos libertar de todas as coisas erradas que fizemos durante os dias de folia. E se estivermos mais perto do Senhor, podemos ter a certeza de que: “A Sua bondade e a sua misericórdia me acompanharão todos os dias da minha vida. E, eu viverei na presença do Senhor para sempre!” Sl 23-6.
Que possamos honrar a quem é digno de honra. E o único digno de honra é Deus, Aquele que existe em três pessoas distintas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
Honra e glória somente a ti, Senhor!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

A verdadeira alegria está nas coisas simples.


Já te contaram que para ser feliz não é preciso usar drogas, ter muito dinheiro, roupas da moda, casas imensas e sofisticadas, carros do ano, correr com esses carros em alta velocidade, ter um iate, enfim, todas essas coisas são supérfluas quando cremos em algo mais profundo e que nos preenche com coisas reais, e não ilusórias. Precisamos de algo que nos mantenha em paz, saudáveis mentalmente e corporalmente e para completar, precisamos de algo que nos mantenha em paz espiritualmente. 
Para ser feliz não é necessário nada disso. Como já dizia meu “filósofo” preferido, Salomão, “tudo isso é vaidade”. Não necessitamos dessas coisas, pois elas, sem a presença de Deus em nós, é vazia, oca, é (vaidade), e não nos conformamos só com elas, sempre queremos mais e mais, a ponto de nada nos preencher. 
Jesus como modelo de simplicidade, viveu no meio de nós com a única missão de nos ensinar as coisas simples, e que viver com simplicidade é a chave para a felicidade. Não necessitamos de tantas coisas, aliás temos coisas demais em nossas casas, roupas demais em nosso guarda roupa, sapatos de mais em nosso armário. Para que tudo isso? Nada disso preenche o vazio que temos se não conhecemos profundamente a Jesus e seus ensinamentos.
Essa é a verdadeira paz, pois ela, não acaba é eterna. Só conseguimos tudo isso quando conhecemos verdadeiramente a Cristo, a Sua paz e o Seu amor. “E conhecer o amor e a paz de Cristo, que excede todo entendimento, nos encherá de toda a plenitude de Deus e guardará os nossos corações e os nossos sentimentos em Cristo Jesus.” (Paráfrase de Fp 4-7 e Ef 3-19). Eis a verdadeira felicidade estar plenamente guardados pelo Senhor.
Vocês conhecerão agora uma receita super simples, de alegria e felicidade: coloquem uma música que você goste muito e que te traz boas lembranças. Se você gosta de sorvete, preencha uma casquinha com seu sorvete preferido se não gosta procure algo que goste muito, e ouça a música, desfrutando todas as lembranças que ela te traz, saboreie o que está comendo devagar, acompanhando a cadência da música, feche os olhos e descanse. 
Reparem que alegria isso traz a seu coração, são lembranças que a traça não corrói, não é destruído pela ferrugem, e você se lembrará daquele momento por muito tempo. Isso é felicidade, baseada em uma coisa simplesmente simples. Depois ainda de olhos fechados, faça uma oração de agradecimento ao Senhor, porque Ele te permitiu conhecer seu filho Jesus e com isso, você não mais pertence aquele time de pessoas que só valorizam o material. 
Agradeça também pela comida que você tem à mesa, enquanto tantos não têm com o que se alimentar, porque você vê, enquanto tantos não enxergam as maravilhas coloridas do mundo, porque você ouve, enquanto tantos não podem ouvir o canto de um pássaro, nem o barulho da chuva, que você anda, enquanto tantos estão limitados em uma cadeira de rodas, que você pensa, enfim, por tudo o que o Senhor te deu e te dá sempre.
 Agradeça porque você está vivo e sente essas emoções que preenchem nosso coração e nos faz verdadeiramente felizes. “Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.” Sl 119-37.
Honra e glória somente a ti, Senhor!

sábado, 4 de fevereiro de 2012

O temor do Senhor é o princípio da sabedoria “Cale-se diante d’Ele toda a terra”

Nos dias de hoje, vemos muito mais respeito e reverência aos seus deuses, por parte de, budistas, praticantes de yoga, umbandistas, espíritas etc., do que os que professam a fé no Deus único e verdadeiro. Muitas vezes eles se prostram diante de ídolos que não têm vida, personalidade, ou poder, são simplesmente pedaços de madeira, pedra. 
Os muçulmanos se prostram cinco vezes por dia em direção a cidade de Meca que consideram santa, em total reverência. Os budistas acreditam nos ensinamentos deixados por Sidarta Gautama, cujo principal conceito é: As respostas do homem estão em seu interior. Em nome de um ensinamento, eles se levantam super cedo e adoram as imagens de Buda, e tantas outras que fazem parte dos rituais. Eles são super pontuais, muito cedo estão meditando em frente a essas imagens em busca do autoconhecimento, do nirvana e tantas outras coisas.
          Os praticantes de yoga também possuem a mesma devoção em suas práticas. E não vamos nos estender mais em explicações que não fazem parte de nossa praia. O objetivo disso, é que vejamos o quanto todas essas filosofias e religiões possuem verdadeiros seguidores, dispostos a tudo em nome do aprendizado e dos benefícios que eles podem lhes trazer.

E, nós cristãos o que temos feito em nome do nosso Deus, o que morreu numa cruz para que tivéssemos a vida eterna e nos livrássemos de nossos pecados? A Palavra de Deus diz: “mas o SENHOR está no seu santo templo. Cale-se diante dele toda a terra.” Hc 2-20.
Nosso Senhor é real, vivo e poderoso. Ele é verdadeiramente Deus. E fala conosco através de Sua Palavra, ao contrário dos ídolos vazios. Nos dias de hoje, não vemos mais muitas pessoas que reverenciam verdadeiramente a Deus o Pai. Esquecem-se que Deus vive em três pessoas, O Pai, o Filho e o Espírito Santo. Não buscam mais o discernimento do Espírito para suas vidas, e como conseqüência disso, vivem uma vida vazia e errada. E por último e pior nem se lembram que a segunda pessoa da Trindade Santa deu a sua própria vida por nós, para que ficássemos livres de nossas transgressões.
Os praticantes de outras religiões levam aos seus deuses, objetos, comida, oferendas, e nós o que levamos ao nosso Deus, o Todo Poderoso, por meio do qual todas as coisas foram feitas? O mínimo que podemos oferecê-lo, e Ele espera que o façamos, é o nosso respeito, a nossa reverência e o nosso amor incondicional. O amor de Jesus por nós, foi incondicional quando morreu na cruz do calvário. Hoje a única coisa que Ele nos pede é respeito, e reverência. “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria; bom entendimento tem todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor permanece para sempre. Sl 111-10. 

O temor do Senhor a que se refere esse salmo não se trata de medo e sim da obediência reverente e respeitosa que se deve ao Deus Altíssimo. O único caminho que temos a seguir rumo à sabedoria é temer a Deus e termos a certeza de que Ele está no controle de tudo e sabe o que faz. Com freqüência ignoramos isso, e pensamos que podemos nos tornar sábios somente por nossa experiência de vida e pelo conhecimento acadêmico ou autodidata. Porém, se não reconhecermos Deus como a nossa única fonte de sabedoria, teremos um alicerce fraco e instável para que as nossas decisões sejam sábias, e conseqüentemente, as nossas escolhas serão erradas.
O temor do Senhor, começa com uma genuína reverência pelo Todo-Poderoso, e uma firme confiança de que Deus está no comando de todas as circunstâncias e nos guia para todos os nossos propósitos. “Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e ele a dará porque é generoso e dá com bondade a todos.” Tg 1-5.
Aproximemo-nos do Senhor com reverência e aguardemos em silêncio para ouvir o que Ele tem a nos dizer. Ele não é um ídolo que não fala, Ele fala conosco, basta apenas nos propormos a ouvi-lo.
Honra e glória somente a ti, Senhor!

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics