sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O que é o carnaval?

O carnaval estará chegando nos próximos dias, como todo ano acontece. Segundo alguns dicionários, carnaval significa: Período de festas profanas de origem medieval, compreendido entre o dia de Reis e a quarta feira de cinzas, período que compreende os três dias que precedem a Quaresma, durante o qual, com o afrouxamento das normas morais, se dá o irromper de recalques, por meio de danças, cantos, trejeitos, indumentária diversa da habitual etc. Folguedo, orgia.
E o que vem a ser orgia? Mais uma vez o dicionário vem em nosso socorro. Orgia quer dizer: Bacanal, festa de prazeres licenciosos, (prazeres desregrados, sem freio, que excede os limites do lícito, devasso, libertino), desordem, anarquia, tumulto, excesso, desperdício. Depois de todas essas explicações do dicionário, chegamos à conclusão de que o carnaval não é algo de Deus. Não procede de Deus não tem nada a ver com o Criador, e sim com a criatura.
Hoje, podemos ver no Brasil em diversos locais, onde ele é muito comemorado, grupos que cobram importâncias exorbitantes para que o homem possa participar das quatro noites de libertinagem, devassidão, de prazeres ilícitos, desregrados, totalmente sem freio. Isso porque no ano anterior ele esteve recalcado, estressado, sofrido, e passou por “momentos difíceis.” Aí chega o carnaval, e com isso, é possível exceder todos os limites onde houve freios o ano todo, “porque no carnaval todas as normas morais são afrouxadas e eu posso colocar para fora tudo o que esteve reprimido dentro de mim”. Há que ter muito dinheiro para gastar em nome de tal “afrouxamento”. Com essa quantia muitas pessoas poderiam ser alimentadas, os que passam toda sorte de necessidades. Fome, frio, doenças e tantas outras. Para ajudar alguém necessitado, nunca temos dinheiro, mas para comprar um abadá, (roupa própria dos trios elétricos para o carnaval) o dinheiro aparece, nem que tenhamos que passar fome o ano inteiro. 
O que vemos são pobres de “marré de si”, empobrecendo cada vez mais, financeiramente e espiritualmente, e enriquecendo quem já está muito rico, como é o caso dos trios elétricos que animam o carnaval em nosso Brasil.


Os valores estão totalmente trocados em nossa sociedade. Ou melhor, não existem mais os verdadeiros valores que aprendemos com nossos pais quando pequenos. Sem falar daqueles que sabem que o carnaval não é de Deus, e mesmo assim vão em busca de divertimento profano. Sabemos que o pecado pode ser cometido todos os dias, porém o carnaval é propício para o pecado. É a época em que os acidentes de trânsito, devido ao excesso de bebidas alcoólicas, se multiplicam.

Fomos criados por Deus e, é normal que queiramos nos aproximar d’Ele. Porque não procuramos por aquele que nos criou, ao invés de tentarmos preencher nosso vazio existencial através de prazeres efêmeros que não procedem de Deus? Esse vazio existencial só pode ser totalmente preenchido por Deus, e nada nesse mundo tem esse poder. Depois que tudo termina, vemos que o feriado acabou, corremos todo o tipo de risco, gastamos o dinheiro que não tínhamos e que poderia ter sido usado em algo útil, e o pior percebemos que continuamos totalmente frustrados, pois o efeito “adrenalina” do carnaval é passageiro, e novamente observamos que ainda estamos angustiados, só que agora mais pobres e muito mais pecadores. Percebemos que continuamos sem o total preenchimento que fomos buscar durante os quatro dias de folia. Só Jesus pode nos preencher. Para que possamos ser cheios de Deus, devemos estar em consonância com Ele todos os dias do ano, inclusive no carnaval, pois não existe nenhuma cinza milagrosa que colocada sobre a testa vá nos libertar de todas as coisas erradas que fizemos durante os dias de folia. E se estivermos mais perto do Senhor, podemos ter a certeza de que: “A Sua bondade e a sua misericórdia me acompanharão todos os dias da minha vida. E, eu viverei na presença do Senhor para sempre!” Sl 23-6.
Que possamos honrar a quem é digno de honra. E o único digno de honra é Deus, Aquele que existe em três pessoas distintas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
Honra e glória somente a ti, Senhor!

Um comentário:

Stylosophy | Lisi disse...

Ótimo texto. Por mais que algumas pessoas, digam que 'pulam' carnaval sem pecar, que levam os filhos nas matinês, por mais que o intuito da pessoa seja puro, o ambiente da festa é espiritualmente condenado.
Bjins!

Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics