terça-feira, 30 de dezembro de 2014

O excesso de álcool nas festas de fim de ano.

O Apóstolo Pedro em sua primeira carta, no capítulo quarto, exorta a que alguns judeus que foram expulsos de Jerusalém e se encontravam espalhados por diversos pontos da Galácia, Capadócia, Ásia e outros, a não cometerem pecados contra seus próprios corpos. 

Um desses pecados é a embriaguez e as bebedeiras. “No passado vocês já andaram bastante nas coisas pecaminosas que os ímpios apreciam e que levam a outros pecados terríveis – o pecado do sexo, a imoralidade, a embriaguez, as orgias, as bebedeiras e a adoração dos ídolos.” I Pe 4-3. 
Será que existe diferença entre essas duas? Toda embriaguez começa com as bebedeiras, porém, nem toda bebedeira causa embriaguez. Contudo, tanto uma quanto a outra, desmoraliza o homem que as praticam. E, não estamos falando de ímpios, sejam eles ateus, hereges, incrédulos ou coisa parecida. Estamos falando dos cristãos que acham que podem tomar só um “vinhozinho”, uma “cervejinha” gelada, pois está calor, “um conhaquezinho” para esquentar do frio, tudo usado no diminutivo, justamente para diminuir o ato, e torná-lo um pouco mais viável, ou quem sabe, transformá-lo em um “pecadinho”.
Será que Deus se agrada disso? É certo que não. Tudo começa com um “copinho” ali, outro acolá, depois o vício toma conta e já não se vive mais sem o álcool.  Depois da bebida alcoólica, outros vícios podem advir e toda a vida de oração e trabalho para Deus estarão perdidos, pois ninguém pode servir a dois senhores.  Vícios não combinam com Deus de forma alguma. Como diz Pedro em sua carta, um pecado puxa outro e quando vemos, já não dá mais tempo para frear os erros cometidos. 
As festas de fim de ano estão próximas, e com elas muita bebedeira e embriaguez. Não ingerir bebida alcoólica é o único meio de se evitar mortes e sofrimentos causados por diversos tipos de acidentes.
A nossa oração de hoje é que não venhamos a participar desse tipo de coisa, que sejamos íntegros sem ter nada do que nos envergonhar, pois: “Lembrem-se apenas de que eles terão de enfrentar o Juiz de todos, dos vivos e dos mortos; e eles serão castigados pela maneira como têm vivido”. I Pe 4-5. E, para isso é bom que vivamos o resto de nossas vidas aqui na terra de acordo com a vontade de Deus, não nos deixando dominar pelas paixões humanas. I Pe 4-2
Que o Senhor nos ajude a dizer não a bebida alcoólica e a tudo o que possa nos desmoralizar perante Deus e os homens.
Que possamos nos embriagar somente de Deus e da Sua Palavra.
Honra e glória somente a ti, Senhor!



quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Jesus nasceu! Aleluia! E, está em nosso meio!

Natal significa nascimento. Especificamente, nesse dia comemora-se o nascimento de Jesus Cristo o Filho de Deus. É a festa que celebra a Natividade daquele que veio a esse mundo por causa de muitos. Não veio para ajudar a nos salvar, pois não podemos livrar a nós mesmos do pecado e de suas consequências. Ele é a salvação. Ele é o nosso salvador que nos livrou do poder do pecado e do castigo. “E el
a dará a luz um filho, e lhe porás o nome de JESUS, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.” Mt 1-21. Foi só pelo Seu nascimento e morte que voltamos ao estado da Graça, que nascemos de novo e tivemos uma chance de novamente sermos feitos filhos de Deus.
A nossa oração de hoje é que possamos reconhecer o verdadeiro espírito do Natal, que saibamos dar honra aquele que deu a sua vida por nós, o que nos dá a oportunidade de sermos salvos todos os dias. Jesus é o nosso legítimo Pastor, “Ele se manterá firme e apascentará o povo na força do SENHOR, na majestade do nome do SENHOR, seu Deus; e eles habitarão seguros, porque, agora, será ele engrandecido até os confins da terra.” Mq 5-4.
            Jesus é o nome que é sobre todo nome e “Este será a nossa paz” Mq 5-5. Jesus é a nossa paz a que excede todo entendimento. É disso que necessitamos todos os dias. Que nesse Natal possamos honrar a quem é digno de toda honra: Jesus Cristo O Filho de Deus.
            Jesus nasceu Aleluia!
           Honra e glória somente a ti, Senhor!

           

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Obediência ou desobediência? Qual é o seu destino Társis ou Nínive? Uma analogia com o livro de Jonas.

Jonas, profeta do Deus único, foi intimado a levar a Palavra ao povo de Nínive, povo desobediente e pecador. Jonas se negou a dirigir-se a Nínive e seguiu rumo à Társis. Não desejava pregar ao povo pecador de Nínive a sua destruição em quarenta dias. Depois de ter passado por muitas provações e ter ido parar na barriga de um enorme peixe, depois de três dias, percebeu que deveria realizar aquilo o que Deus lhe ordenara. Pediu ajuda a Deus, foi salvo, e obedeceu. Depois que Jonas avisou que a cidade seria destruída, todos ouviram, jejuaram, sentaram-se sobre cinzas vestindo roupas de panos grosseiros, incluindo o rei da cidade e esperaram que Deus o Senhor mudasse de ideia e não os destruísse. 
No final do livro de Jonas Deus lhe deu uma enorme lição de suprema bondade, a de querer salvar mais de cento e vinte mil crianças inocentes e também muitos animais após seu arrependimento: “Então eu, com muito mais razão, devo ter pena da grande cidade de Nínive, onde há mais de cento e vinte mil crianças inocentes e também muitos animais”. Jn 4-11.

            O Senhor Deus criador dos céus e da terra, não é limitado por concepções equivocadas como nós suas criaturas. Muitas vezes nos aborrecemos e nos irritamos ao ver o ímpio prosperar, pois limitamos e reduzimos a graça e a misericórdia divinas a nós mesmos. O interesse de Deus, O Senhor, não é limitado, ele se estende a toda à criação, incluindo os animais. Ele concede a Sua infinita misericórdia em qualquer lugar e a quem quiser.
Jonas quis fazer as coisas a seu modo e sofreu os resultados. Todos nós possuímos o direito de escolher e seguir os nossos próprios caminhos sem a participação de Deus, colher dolorosas consequências ou realizar tudo de acordo com aquilo que Deus quer que façamos e colher as bênçãos advindas dessa decisão.
Resumindo: Somos obedientes e seguimos em direção a Nínive ou preferimos quase nos afogarmos ou morrermos dentro da barriga de um peixe grande, desobedecendo, escolhendo Társis? O que preferimos Nínive ou Társis? Obediência ou desobediência? Eis a questão.  A história desse livro nos serve e muito ainda nos dias de hoje.
            Que o Senhor nos ajude a sempre escolhermos as alternativas que vêm d’Ele, para que possamos receber ajuda e as bênçãos que advém da obediência.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!


sábado, 13 de dezembro de 2014

Vigiar e orar no mês de Dezembro.

Um dia desses, ouvindo músicas natalinas, fui transportada ao tempo em que quando era criança eu aguardava com ansiedade que ele, dezembro chegasse. Era muito emocionante esperar por presentes, a montagem da árvore de natal, as comidas deliciosas que iriam compor a mesa. Enfim, era tudo alegria em meu coração de criança. Pra mim, ninguém adoecia nem morria nesses dias. Mas, eu sabia o que realmente seria comemorado: o nascimento de Jesus, e isso me alegrava. Sempre amei o mês de dezembro.
Hoje, já adulta, e bem adulta, diga-se de passagem, comecei a observar o outro lado do mês de dezembro. Percebi que é um mês em que devemos praticar o que Jesus diz em Sua Palavra: “Vigiai e orai, para não cairdes em tentação. O espírito, com certeza, está preparado, mas a carne é fraca”. Mt 26-41.
            Jesus estava se referindo a batalha que enfrentaria. Dirigiu-se ao Getsêmani para orar e pediu que os discípulos orassem com Ele. Os discípulos dormiram e não vigiaram com o Mestre nem por uma hora. Nossa batalha não tem nada a ver com a que Jesus enfrentou. Nada nesse mundo pode se assemelhar ao que Ele padeceu. Mas, esse alerta serve para nós nesses dias de festas de natal e ano novo.
Por deixarmos que nossa fraca carne se sobreponha ao espírito, nessa época, gastamos mais do que temos e ficamos endividados, bebemos muito mais do que nosso fígado pode suportar, nos estressamos ao ponto máximo, para atender a todos os detalhes das festas que virão. Na verdade, não é essa a comemoração que Cristo esperava de nós. O nascimento d’Ele foi algo magnífico, porém de uma simplicidade gigantesca. A primeira cama em que Cristo dormiu foi uma manjedoura, uma espécie de tabuleiro onde se colocavam a comida dos animais, dentro de uma estrebaria, local onde se guardavam animais e seus pertences. Não existe simplicidade maior.
 Devemos vigiar e orar, pois é nessa mesma época em que estamos alegres e felizes que abrimos nossa guarda ao inimigo de nossas almas. O que anda ao redor de nós, procurando nos aniquilar. Ele deseja destruir a alegria de nosso coração, a nossa felicidade. É também nessa mesma época que as pessoas mais ingerem bebidas alcoólicas e cometem os atos mais bárbaros, tudo em nome das festividades e dos recessos a que fazem jus. Esquecemos-nos de verdadeiramente comemorarmos o nascimento de Cristo Jesus, aquele que não tinha onde recostar sua cabeça: “E disse Jesus: As raposas têm suas tocas, e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. Mt 8-20.
            Que possamos verdadeiramente, comemorar o nascimento de nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, com alegria, amor e simplicidade o que com certeza O alegrará, porém nunca nos esquecendo de suas recomendações: Vigiar e orar, fortalecendo o espírito em detrimento da carne, através da oração.
Honra e glória somente a ti, Senhor!



sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Deus ou o Diabo? De que lado estamos?

A Palavra de Deus diz que fomos criados a imagem e semelhança de Deus. E, podemos ver isso no Antigo Testamento em Gênesis um capítulo vinte e sete: “Deus, portanto, criou os seres humanos à sua imagem, à imagem de Deus os criou: macho e fêmea os criou”. Gn 1-27. Mas, por que será que muitas vezes seguimos os passos de Satanás? Quando brigamos com alguém, quando perdemos a paciência no trânsito e partimos para a ofensa, quando deixamos de fazer o bem, quando frustramos os sonhos de alguém, quando roubamos a paz dos outros, estamos agindo como o dono do mundo: o Diabo o pai da mentira, se assemelha a um ladrão, ele quer roubar, matar e destruir a todos. E, nós muitas vezes agimos como ele.
Quando uma mulher ou um homem se insinuam para outros do sexo oposto, muitas vezes comprometidos em casamento, e essa pessoa vai embora, abandona o seu lar, esposa e filhos, esse homem ou mulher estão roubando algo de alguém. E, estão cometendo outro pecado, o de cobiçar algo do próximo.
            A Palavra de Deus é muito clara com relação ao roubo. Não precisamos roubar apenas dinheiro ou bens materiais. A paz, o sossego, os sonhos que ficam frustrados, também fazem parte do pacote. E, estamos cometendo pecado.
Quando deixamos de apoiar e cuidar de nossos pais idosos, e não os honramos estamos cometendo pecado. Quando colocamos algo ou alguém como o principal em nossas vidas, estamos cometendo o pecado de colocar algo ou alguém acima de Deus. Enfim, muitas vezes estamos muito mais próximos do Diabo do que de Deus. E, isso leva a morte das pessoas que estão sendo afligidas. Quando agimos dessa forma, estamos roubando algo bom, matando internamente e estamos destruindo a vida dessas pessoas.
Que o Senhor nos ajude a mudar. Que possamos eliminar de nossas vidas tudo o que nos aproxima de Satanás, pois fomos criados a imagem e semelhança de Deus e não do Diabo. Que possamos permitir que o Espírito Santo de Deus realmente nos blinde, pois Ele não compactua com o pecado.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!


quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Saul, Davi e as eleições presidenciais no Brasil.

Será que existe alguém que nunca ouviu falar sobre o Rei Davi? E o Rei Saul será que sabem alguma coisa? É muito provável que sim.  Saul foi o rei escolhido segundo o coração do povo de Israel, que estavam cansados dos desmandos e da perversão dos juízes. Queriam um rei como todas as outras nações. “Contudo, todo o povo recusou-se a ouvir a advertência de Samuel e exclamou: Não! Queremos ter um rei!” I Sm 8-19.
Deus em sua infinita bondade, mesmo tendo sido rejeitado pelo povo atendeu-os e pediu ao Profeta Samuel para ungir a Saul, rei. Saul era um homem belo e a Bíblia diz que não havia outro mais belo do que ele entre os filhos de Israel. No decorrer da história, Saul não correspondeu ao que o Senhor Deus desejava. Não obedeceu. Ofereceu sacrifícios sem a presença do sacerdote Samuel, descumpriu as ordens de Deus e foi rejeitado por Ele.

            Vendo tudo isso o Senhor enviou novamente a Samuel para ungir outro rei e o mandou à casa de Jessé, que possuía oito filhos, para que fosse escolhido dessa casa, o futuro rei de Israel. Deus escolheu o menor e mais novo, porém de boa aparência. Era Davi, o rei escolhido segundo o coração de Deus. Pequeno em estatura, mas com um grande coração. I Sm16-13.
Nesses últimos dias pudemos assistir algo um pouco parecido ao que ocorreu nos tempos bíblicos. Tivemos uma eleição para presidência da república e, é óbvio que o Senhor teria muita alegria se Marina Silva, mulher de Deus, tivesse sido eleita. Mas, isso não aconteceu. O outro lado ganhou. Tivemos a oportunidade de colocar no poder alguém íntegra, amorosa, ética e conhecedora da Palavra de Deus, e isso não aconteceu. Teremos mais quatro anos de uma pessoa no poder que se diz católica, mas que não frequenta nenhuma igreja. Alguém que tem como vice- presidente um satanista confesso.
O que podemos esperar nesses quatro anos em que ela ainda estará governando o nosso país? De qualquer maneira, sendo ela nossa candidata ou não, o dever de todo cristão é orar por seus governantes. 
Que o Senhor nos cuide com Sua infinita misericórdia e nos ajude a superar tudo o que está por vir. O Brasil está sendo governado em meio a desmandos e corrupção. Que a população menos abastada, engrupida por “bolsas” e mais “bolsas”, possam ser cuidadas e protegidas por Deus, pois só Ele poderá ajudar. A população não percebe que o Brasil está sendo saqueado e que não há segurança, educação nem saúde para oferecer aos mais necessitados, e também aos mais abastados, pois tudo isso é direito do cidadão brasileiro. Não estamos podendo exercer nosso direito de cidadãos. Oremos ao Senhor todos os dias pedindo que haja nesses quatro anos, menos corrupção e o Brasil possa ter ordem e possa voltar a progredir. “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera”. Ef 3.20. É nosso dever orar sem cessar.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!



segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Mais um natal chegando. Aleluia!

Que venha dezembro com todos os seus encantos. Mês de festas, recessos no trabalho, férias escolares, lojas coloridas e enfeitadas com imagens convidativas aos gastos astronômicos, tudo em nome dos presentes que teremos que dar aos amigos, familiares e outros. 


A Primavera ainda reina entre nós, e por isso muitas flores ainda estão brotando e ficando cada vez mais bonitas. Esse mês possui um encanto mágico, porém, real. Ainda podemos sentir o cheiro das flores pairando no ar.
É no Natal que comemoramos o nascimento de Jesus. Deus que chega a esse mundo, não ontem, nem amanhã, mas agora. O Deus presente que está e estará sempre no meio de nós, bastando apenas que o deixemos fazer morada em nossos corações. Tudo passará um dia, mas Ele e a Sua Palavra nunca passarão. Ele é o nosso refúgio em momentos de sofrimento e desilusões que tivemos ao longo do ano que se finda. Quando não sabemos nem por onde começar, Ele vem em nosso auxílio e nos ajuda a fechar bem o que não estava dando certo. Jesus é socorro sempre presente em nossas angústias e adversidades. Ele nos fortalece, porque nos ama acima de tudo. Acima de nossas falhas, de nossas injustiças, de nossa falta de amor ao próximo. “Os olhos do Senhor contemplam os justos, e seus ouvidos estão atentos ao seu clamor por socorro”. Sl 34-15. A Palavra de Deus deixa bem claro que o zelo do Senhor é para com os que são justos, ou seja, os que são Seus aliados.

Fiquemos atentos às comemorações de Natal. Muito mais do que os presentes que daremos ou que ganharemos, pois tudo isso dura muito pouco. Foquemo-nos em nosso espírito que é eterno, e no que realmente tem importância e valor, que é a nossa saúde física e mental. Invistamos nisso, pois ao longo do ano é disso que precisaremos. A vida continua da mesma forma que parou nos recessos de Natal e Ano novo. E, precisaremos de muita energia para continuá-la de onde parou, principalmente para trabalhar e poder pagar todos os gastos que fizemos.
Que venha dezembro com muita paz, alegrias, saúde, amor. E nenhum estresse, se é que isso existe nesse mês. Que o Senhor Jesus nos ajude a que isso seja possível, pois para Ele tudo é. 
Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!
Honra e glória somente a ti, Senhor!





sábado, 29 de novembro de 2014

De Deus não se zomba.

 Você já plantou algo em sua vida? Flores, temperos, uma árvore?  Enfim qualquer coisa.  Se positivo, deve ter percebido que colheu realmente o que plantou. Não plantamos milho e colhemos azeitonas, nem semeamos Azaleias e veremos desabrochar lindas Rosas. Se semearmos tomilho, não colheremos manjerona!
            Na vida é a mesma coisa. A palavra de Deus diz: "Eles semearam ventos e colherão tempestades" Os. 8-7. A tempestade nada mais é do que uma agitação violenta, geralmente acompanhada de chuvas e trovões. Todos os que plantarem sementes de paz e tranquilidade, colherão calmaria. Porém, se for ao contrário, com certeza a resposta será essa, muito vento, raios e trovões.
A Palavra de Deus na carta que o Apóstolo Paulo escreve ao povo da Galácia, no capítulo seis no verso sete diz: “Não se enganem: ninguém zomba de Deus. O que uma pessoa plantar, é isso mesmo que colherá. Se plantar no terreno da sua natureza humana, desse terreno colherá a morte. Porém, se plantar no terreno do Espírito de Deus, desse terreno colherá a vida eterna. Não nos cansemos de fazer o bem. Pois, se não desanimarmos, chegará o tempo certo em que faremos a colheita. Portanto, sempre que pudermos, devemos fazer o bem a todos!” Gl 6.7-10. 
O que será que Paulo queria dizer a esse povo? Paulo estava querendo dizer que toda ação tem uma consequência. Se falarmos mal de nossos amigos, é provável que perderemos a amizade deles, no mínimo perderemos a confiança. Se praticarmos atos maus, teremos que responder por eles de alguma maneira. Se zombarmos de Deus, também responderemos por tal ato, porque como diz a Sua Palavra, d’Ele não se zomba, sem que não nos sobrevenha um resultado. Vemos nos dias atuais as pessoas postando nas redes sociais palavras de escárnio e piadas se referindo ao Deus Altíssimo. Com toda certeza, não escaparão das consequências do que fizeram. 

O mínimo que poderá nos acontecer segundo a Lei da colheita, é plantarmos alguma coisa e não colhermos nada. Nossa semeadura e consequente colheita devem começar no terreno do espírito, para que possamos colher a vida eterna.
            A receita para isso está nas Palavras do Todo Poderoso no livro de Oséias no capítulo dez, verso doze: “Preparem os campos para a lavoura, semeiem a justiça e colham as bênçãos que o amor produzirá. Pois já é tempo de vocês se voltarem para mim, o Senhor, e eu farei chover sobre vocês a chuva da salvação”. Os 10.12-13. 
É isso o que Senhor quer de nós. Que plantemos grandes jardins, de justiça, de amor, e de paz para que venhamos a colher as bênçãos que o amor produzirá. Nunca nos esquecendo de que de Deus não se zomba.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!


domingo, 16 de novembro de 2014

Contando uma história sobre: Valores e Filhos.

Será que estamos preparados para gerar uma vida que com certeza amaremos e nos preocuparemos para o resto de nossas vidas? Para algumas pessoas, ter filhos foi só um “descuido”. Era para ser uma bênção, mas por algum motivo o que foi um descuido precisará ser cuidado por nós com todo carinho e desvelo. Esses são os nossos filhos. “Quanto a seus filhos, eles são herança do Senhor: o fruto do ventre é um presente de Deus”. Sl 127-3.

Ter filhos é tão importante, que nos tempos bíblicos do Antigo Testamento, só receberiam porções de terra, as famílias que gerassem filhos. Essa era a condição para que permanecessem nelas. Caso isso não acontecesse, a herança seria perdida.
As mulheres só deveriam ter filhos quando realmente estivessem preparadas para tê-los. Um dia desses quando estava viajando pude observar uma moça bem nova, que andava atrás de uma criança de aproximadamente dois anos de idade. Os cuidados com a criança eram divididos com o celular. A mãe tentava prender a criança em um banco para que pudesse interagir nas redes sociais. A criança era hiperativa em contrapartida seus pais (o pai também estava presente), eram totalmente passivos. Desejavam muito que a criança sossegasse, para que pudessem conversar ao celular, mas ela não parava.
Aproximou-se de mim e quase derrubou meu refrigerante. Quando a mãe veio buscá-lo, eu disse: “Seu filho tem muita energia”! Ela respondeu: Sim ele não para nunca, e dorme muito pouco.

A maternidade que deveria ser algo sublime, para essa moça era um fardo. O celular era mais importante do que o próprio filho. Verdadeiramente os valores, o afeto, a atenção continuada, quase não existe mais, estão sendo trocados, destrocados e esquecidos. “Ensina a criança no Caminho em que Dave andar, e mesmo quando for idoso não se desviará dele”! Pv 22-6.
As crianças devem ser ensinadas desde pequenas incluindo o testemunho dos pais, a andar nos Caminhos do Senhor. Devem receber instrução e disciplina para que se tornem sábias pessoas quando estiverem adultas. “O Caminho de Deus é perfeito; a Palavra do Senhor é comprovadamente verdadeira. Deus é um escudo para todos aqueles que nele buscam abrigo” II Sm 22-31. E dessa maneira que as crianças deveriam ser educadas, com carinho, amor e acima de tudo com paciência, elas necessitam disso, daí a importância de estarmos preparados para trazer uma criança ao mundo.
Honra e glória somente a ti, Senhor!


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

A misericórdia e a bondade de Deus.

Será que sabemos diferenciar a palavra misericórdia de benignidade? Será que existe mesmo alguma diferença? Na verdade elas são sinônimas. Quem é benevolente, possui afeto, tem bondade de coração, sente vontade e gosta de fazer o bem. Misericórdia significa compaixão, piedade. Quem age com misericórdia não pergunta muito sobre a situação do outro. Um exemplo típico disso vemos no Antigo Testamento, quando Davi pergunta a um servo se ainda restava alguém da família de Saul. O servo responde que sim: “Ainda há um filho de Jônatas, aleijado de ambos os pés”. II Sm 9-3.



            Davi não pensou duas vezes e não se importou com a deficiência do filho de seu melhor amigo. Simplesmente quis saber onde ele estava e mandou que o buscassem para 
fazer parte da família. Isso se chama agir com misericórdia. Não quis saber se a criança seria um peso, e sim, que queria ajudá-lo, alimentá-lo, cuidar dele. Assim são as misericórdias do Senhor. Não somos merecedores delas, porém Ele age com bondade conosco. Sua misericórdia e bondade duram para sempre. “Louvai ao Senhor, porque ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre”. Sl 106-1. Outro salmo nos diz: “Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade dura para sempre”. Sl 136-3. Dessa forma, percebemos que as palavras são realmente sinônimas.

A bondade e a misericórdia do Senhor nos aliviam das injustiças, das perdas, das deficiências, do sofrimento, da culpa e de todos os males. Bondade e misericórdia são os nossos dois guarda-costas. Quando estamos necessitados de alguma intervenção divina, eles chegam primeiro em nossas vidas, pois a bondade de Deus é infinita, mesmo com todos os pecados que cometemos. “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo ainda pecadores”. Rm 5.8.

Na língua hebraica, misericórdia e bondade são representadas por uma só palavra: Chesed. Não existem duas palavras para representá-las. Elas estão sempre juntas. 

Peçamos ao Senhor que a Sua bondade esteja sempre conosco e que possamos ser bondosos e misericordiosos para com os nossos irmãos. “Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias”. Sl 23-6.
Honra e glória somente a ti, Senhor!


sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Aniversário da Reforma Protestante – 497 anos.

Mais um ano se passou e novamente hoje, estamos comemorando o aniversário da Reforma Protestante iniciada por Martinho Lutero. Tudo teve início quando ele pregou as noventa e cinco teses na porta da catedral de Wittenberg.
O ato tinha o intuito de trazer à luz as verdades bíblicas, pois as mesmas naquela época estavam sendo deturpadas pela Igreja Católica, que vendia indulgências em troca da salvação das almas.

   Lutero se indignou, e através do estudo minucioso da Palavra descobriu que a Igreja Católica estava longe da pureza que continha os ensinamentos da Igreja Primitiva. Após esses quase quinhentos anos de existência, podemos notar que a pureza que continha os ensinamentos da Igreja Primitiva, não está sendo guardada somente pela Igreja Católica. Se olharmos atentamente, observaremos que algumas que se intitulam "protestantes", também deixaram de lado, há muito tempo tais práticas.




A Reforma tinha como objetivo trazer de volta à igreja, as doutrinas chaves, tendo somente as Escrituras como autoridade e suficiência; somente a suficiência e exclusividade de Cristo; somente a graça, única causa eficiente da salvação; somente a fé, ou a exclusividade da fé como meio da justificação,  e glória somente a Deus. Esse é o resumo das cinco Solas de Lutero: Sola Scriptura, Solus Christus, Sola Gratia, Sola Fide, e Soli Deo Glória.
Apesar de algumas igrejas terem se esquecido disso, é um dia que deve ser lembrado e comemorado pelos verdadeiros cristãos que ainda estão tentando viver pela fé, pela graça, tendo Jesus como seu único e suficiente Salvador, lendo diariamente, e colocando em prática os ensinamentos da Bíblia Sagrada e glorificando somente a Deus.
Que possamos nos voltar novamente para esses sagrados ensinamentos, e promovermos também em nós todos os dias, uma Reforma completa para que sejamos sempre dignos do sacrifício de Jesus na cruz do calvário.
Honra e glória somente a ti, Senhor!
Soli Deo Gloria!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

As sete atitudes abomináveis aos olhos de Deus.

Você já fez algo abominável aos olhos de Deus? Você sabe quais são as sete coisas que o Senhor detesta e abomina? A Palavra de Deus nos adverte: “Estas seis coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia, ou provoca contendas entre irmãos”. Pv 6.16-19.
            Vamos tentar nos lembrar se já fizemos alguma das sete coisas que lemos nesses versículos. Quantas vezes já nos portamos com arrogância com nossos irmãos? É provável que muitas vezes. Quando nos achamos melhores do que os outros, já estamos sendo arrogantes. Será que já mentimos? Lógico que sim. E, o nosso coração, já maquinou pensamentos perversos contra alguém? É provável que sim. Quantas vezes mentimos para nossos pais e corremos para o mal sem que eles ao menos soubessem? E, quanto a testemunhar falsamente proferindo mentiras? É provável que sim. E quantas vezes semeamos e provocamos contendas entre os nossos irmãos? Estamos vendo isso, um pouco mais de perto nessa semana de eleições.
A contenda entre os irmãos a que Deus se refere, não é só entre irmãos consanguíneos, mas é entre todos os nossos irmãos que existem na face desse mundo. E, é justamente essa a coisa que o Senhor em toda sua essência mais detesta. A Palavra diz que Sua alma abomina. A única das sete que acho que não é praticada com frequência é o derramamento de sangue inocente a que o Senhor Deus se refere, pois só vemos coisas do tipo praticadas por bandidos e assassinos, ou pessoas mentalmente enfermas. É provável que já tenhamos lido essa Palavra centenas de vezes na Bíblia, porém, muitas vezes nos passa despercebido o que Deus realmente deseja de nós através dessa dela. O Senhor deixa bem claro que o pecado é desastroso para o homem e repugnante para Ele, pois um Deus que é santo abomina o mal. “Porque o Senhor detesta o perverso, porém ao justo Ele trata como seu grande amigo”. Pv 3-32.
Que o Senhor nos ajude a que passemos bem longe dessas atitudes!
Honra e glória somente a ti, Senhor!


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

De que tamanho é o seu ego?

Você conhece alguém que tem por hábito controlar a tudo e a todos? Eu conheço e posso dizer que estou cansada de pessoas que se utilizam da primeira pessoa para agredir e menosprezar pessoas. Repetitivo, mas verdadeiro.

            Tudo delas é melhor do que as coisas de todas as pessoas do mundo. “Eu Eu tenho a casa melhor, meu carro é o melhor, meu sofá foi comprado na melhor loja, e por isso é o melhor do que o seu, meus filhos são melhores do que os dos outros”. Enfim, cansativo e desnecessário. Pessoas assim são desinformadas, infelizes, não gostam de si mesmas, e por isso precisam se sentir melhor, menosprezando tudo e todos à sua volta.

Não existe ninguém melhor, o que existe são pessoas mais generosas, com caráter e personalidades equilibrados e que não precisam maltratar ninguém pra se sentirem valorizadas. Perante Deus somos todos iguais. Porém, Deus prefere as que possuem bom coração, ajudam ao próximo, alimentam quem tem fome, vestem quem está com frio, alcançam um copo com água a quem tem sede, e acima de tudo não humilham e nem menosprezam os outros. 

Muitas vezes até, elas até gostam de ajudar financeiramente os outros, mas não perdem uma oportunidade de humilhar quem está próximo, sempre afirmando que tudo o que é dela é melhor. Isso se chama insegurança. No fundo, se acham tão inferiores, que precisam se auto-afirmar através disso. Deus o Pai, nos exorta a que não falemos orgulhosamente e que não saia de nossas bocas palavras arrogantes, porque Ele é sábio, e é Ele quem julga os nossos atos. I Sm 2-3.


Jesus foi humilhado desde a sua vinda, e na sua morte muito mais, e em nenhum momento se sentiu inferior ou menosprezou alguém por isso. Ele não dá nenhuma importância à auto-exaltação e sim a que não nos preocupemos se formos humilhados, e nos prometeu: “E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado”. Mt 23-12. 

Jesus deixou dito que o Reino de Deus pertence aos que se assemelham às crianças, e Ele estava certíssimo. As crianças são leves, inocentes, não são controladoras, nem arrogantes, se contentam com muito pouco, elas são felizes. “Mas Jesus, chamou a si as crianças e disse: Deixai vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas”. Lc 18-16.

Que o Senhor nos ajude a que sejamos exaltados por Deus e não pelos homens., e que possamos cada vez mais nos assemelharmos as crianças.
Honra e glória somente a ti, Senhor!









sábado, 18 de outubro de 2014

Cuidado! Depressão à espreita.

Você já se sentiu como se um terreno de areia movediça ou um poço profundo e escuro te puxasse cada vez mais para o fundo? Queira Deus que não. É dessa maneira  que se sentem as pessoas que sofrem de depressão. Uma patologia silenciosa, muitas vezes incompreendida e que pode levar à morte. Morte dos sonhos, dos objetivos e propósitos de vida e finalmente morte física, caso nada seja feito para a reversão desse quadro.

A areia movediça do lago, que no começo não era muito densa, começa a pesar e nos puxar cada vez mais para o fundo. O poço que a princípio não parecia muito fundo já quase consegue nos engolir totalmente, nos colocando no mais escuro abismo que às vezes pensamos não ter volta. A situação nos parece tão difícil que chegamos a pensar que ninguém conseguirá nos puxar pra cima.

Como resultado disso, temos a morte da vida em vida. Sem de imediato baixar à sepultura. Viveremos nesse mundo, porém mortos para ele, e para nós mesmos. A vida perde a cor e a graça. Perde a graça que alegra como também a Graça, que é o dom sobrenatural, o favor que recebemos de Deus por sermos feitos seus filhos.
A depressão é insidiosa, traiçoeira, está sempre à espreita para nos derrubar. E, todos nós estamos sujeitos a ela. Grandes personagens da Bíblia sofreram de depressão. Davi, Elias, Jó, e até Jesus em algum momento de sua vida esteve deprimido. A depressão age de má fé, é desleal e quando você menos espera, ela “dá o bote”, tomando conta de nossa vida, quase como se fosse um ser fora de nós.
Muitas vezes ouvimos quem cuida de pessoas deprimidas dizer que seus familiares estão agindo com negatividade. Os depressivos não são negativos, a depressão é. A depressão requer cuidado, solicita que estejamos atentos, não só quando é conosco, como também com os nossos familiares.

A depressão nos deixa num completo abatimento e enfraquecimento psíquico, numa falta total de apetite pela vida e com queda da auto-estima.  Sentimo-nos cansados e desanimados. O que fazer quando percebermos que estamos deprimidos ou alguém da família? Em primeiro lugar, orar ao Espírito Santo de Deus buscando ajuda para que a depressão “bata em retirada”. Para receber alívio, é necessário se colocar aos pés de Jesus e buscar também do Espírito Santo, aquele que nos consola. 
Depois se necessário, quase sempre é, devemos buscar ajuda profissional de um psicólogo, psiquiatra, e conselheiro pastoral. Se puder ser tratado pelos três, será melhor ainda.
E, acima de tudo ter paciência para a obtenção da cura plena. É difícil, mas com a ajuda de Deus e de bons profissionais é totalmente possível. Jesus disse: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. Mt 11-28.  Basta apenas crer e buscar.
Honra e glória somente a ti, Senhor!


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

A escuridão da alma.

Davi estava cansado de fugir de Saul, o rei escolhido pelo povo para reinar em Israel. Davi era fiel nunca tendo feito a ele nada de mal. Porém, Saul o perseguia querendo matá-lo. Davi não suportava mais e em meio a esse sofrimento, pede socorro ao seu Deus. O verso 6 do Salmo 6 em diante diz: “Já estou cansado do meu gemido, toda a noite faço nadar a minha cama; molho o meu leito com as minhas lágrimas, já os meus olhos estão consumidos pela mágoa, e têm-se envelhecido por causa de todos os meus inimigos”. Sl 6.6-7.

            Ainda no verso 3 diz: “Até a minha alma está perturbada; mas tu, Senhor, até quando”? Davi amava Saul e estava profundamente decepcionado com a perseguição e a crueldade de Saul contra ele.

Não entendia o porquê de tanta maldade. O único que poderia lhe socorrer era Deus, uma vez que ele não conseguia se acalmar. Davi estava cansado, pede que o Senhor tenha misericórdia dele, pede socorro a Deus: “Volta-te, Senhor, livra a minha alma; salva-me por tua benignidade”. Reclama que está cansado de ouvir o próprio gemido e que chora todas as noites, diz que está se sentindo envelhecido e magoado. Verdadeiramente não entende o que está acontecendo. Em seguida, chega o milagre, quando ele se volta para o Senhor, percebe que seu clamor foi ouvido. “O Senhor já ouviu a voz do meu pranto. O Senhor já ouviu a minha súplica; o Senhor aceitará a minha oração”.  Daí em diante a coisa muda de figura. Ele se sente fortalecido para continuar a fugir e esperar até que a vontade de Deus se cumpra em sua vida e ele possa assumir o reinado de Israel no lugar de Saul.
            É dessa forma que devemos proceder quando nossa alma estiver na escuridão. Muitas vezes achamos que nada tem volta e que tudo está perdido. Mas, não é assim. O Senhor está sempre disposto a nos ajudar, basta apenas que peçamos a Ele com fé e segurança de que Ele nos ouvirá e enviará o socorro necessário. 
Que o Senhor nos ajude a que reconheçamos os nossos problemas tão logo apareçam e nos induza a buscar socorro n’Ele e somente d’Ele.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!

domingo, 5 de outubro de 2014

O grande amor de Deus.

Quem poderá nos afastar do amor de Deus? Paulo em sua carta aos Romanos diz: “nem morte nem vida, nem anjos nem demônios, nem o presente nem o futuro, nem quaisquer poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá nos afastar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Rm 8-39.

O que precisamos para isso? Crer pela fé que Deus existe que é misericordioso que nos abriga que nos livra do mal. Se crermos que Jesus morreu por nós, teremos a certeza que Ele nunca nos abandonará. Foi o próprio Deus quem nos justificou: “Quem poderá trazer alguma acusação sobre os escolhidos de Deus?” É Deus quem os justifica! Rm 8-33. E o que será que o Apóstolo Paulo quis dizer com “a paz que ultrapassa todo o entendimento”? “E a paz de Deus, que ultrapassa ou que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos ou sentimentos em Cristo Jesus”. Fl 4.7.

Nossa mente vive em um campo de batalha constante, pensamentos e sentimentos guerreiam o tempo todo entre as coisas boas e as más, e alguém precisa protegê-la.
É nesse momento que precisamos clamar pela paz de Deus, pois ela é o exército que nos guardará nessa batalha. Precisamos evitar a invasão de sentimentos e pensamentos hostis e essa paz que excede todo entendimento nos protegerá de toda influência nociva externa que possa corrompê-la e nos manterá concentrados na vontade e nas verdades de nosso Deus. Deixemos que a paz de Deus proteja os nossos corações contra todo tipo de ansiedade. Creia: Deus está no controle de todas as coisas, e nada poderá nos afastar d’Ele.

Honra e glória somente a ti Senhor!


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A ansiedade e os amuletos.


            Um dia desses durante uma viagem, ao meu lado sentou-se uma moça muito nervosa, que entre os dedos segurava um Novo Testamento pequeno de cor branca. Ela não conseguia falar de tão nervosa. Sentou-se, ainda envolvida em seus pertences, bolsa, casaco, e dois cachecóis. Ficou estática por alguns instantes e quando a questionei se precisava de ajuda para guardar seus pertences, se deu conta que estava entre duas pessoas estranhas que se apertavam entre os seus objetos, uma vez que os assentos dos aviões são muito apertados.

            Percebendo seu nervosismo, tentei entabular uma conversa amena para que ela se acalmasse. Não adiantou. Depois da primeira intervenção, convenceu-se de que realmente precisava se livrar de alguns pertences para que a viagem fosse mais confortável para todos. Colocou sua bolsa no chão, um cachecol no pescoço e o outro atrás da cabeça. Continuou agarrada ao casaco e seu “livrinho” aberto entre as duas mãos, como se fosse um amuleto. Seus olhos se voltaram para o que estava escrito.

Durante todo o período em que o avião taxiou na pista, até a sua decolagem e nivelamento de altitude, ela se manteve na mesma página. Ela estava no Evangelho de Lucas no capítulo quatro e de lá não saiu. Só guardou, quando foi dada a ordem para desafivelar os cintos. Aí parece que relaxou. Acho até que dormiu um pouco. Algumas pessoas usam a Bíblia como amuleto, essa se sentiu segura apenas colocado-a entre as mãos, outras abrem a Bíblia no Salmo 91, como se só isso bastasse para livrá-las de qualquer coisa.
            É isso que a ansiedade faz conosco. Ela nos tira o senso de realidade. Ficamos como que paralisados. Não conseguimos falar, agir e nos sentimos cansados, com os nervos e músculos rígidos e doloridos. Para essa jovem, o fato de segurar o Novo Testamento nas mãos lhe transmitiu a coragem que precisava para entrar em um avião. Isso não é errado. Se lhe ajudou, foi válido. Mas, para os crentes em Jesus, e dependendo do grau da ansiedade, bastaria apenas orar e pedir uma viagem protegida e abençoada, confiar e descansar no Senhor, porque a Palavra nos diz que: “tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis”. Mt 21.22.
E, a Palavra de Deus nos diz também: “Não andeis ansiosos por motivo algum; pelo contrário, sejam todas as vossas solicitações declaradas na presença de Deus por meio de oração e súplicas com ações de graça”. Fl 4-6.

            Então, o segredo é orar antes de viajar ou realizar qualquer coisa difícil que nos deixem ansiosos. Colocar diante de Deus o que precisamos, antes de realizarmos, porque quanto mais ansiosos estivermos menos conseguimos orar. Devemos nos concentrar na pessoa do Espírito Santo para que Ele nos ajude a superar essas coisas. Nossa mente deve estar certa de que temos um grande Deus e pequenos problemas, e que um amuleto não vai nos ajudar a superar nossas ansiedades.
            Honra e glória somente a ti, Senhor!




Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics