segunda-feira, 4 de junho de 2018

Vigiar e orar, sempre!


Estejamos vestidos com toda a armadura de Deus, na força do Seu poder, a fim de que possamos resistir firmemente no dia mau. A nossa luta não é contra os seres humanos, essa luta é a menor que enfrentamos, pois os enxergamos. A luta mais difícil é contra o poder supremo do mal, contra as forças espirituais nas regiões celestiais que nos cercam todos os dias e que nós não conseguimos enxergar. Fiquemos firmes vigiando e orando! 
Carta do Apóstolo Paulo ao povo de Éfeso, 6.10,12,13.



segunda-feira, 21 de maio de 2018

Nem tudo está perdido quando temos a Jesus!


O Apóstolo Pedro estava preso e o Senhor Deus enviou um anjo para libertá-lo da prisão. Sem entender muita coisa, ele obedeceu, quando percebeu, estava fora da prisão e disse: "Agora entendo, sem qualquer sombra de dúvida, que o Senhor enviou seu anjo e me libertou das mãos de Herodes e de tudo o que o povo judeu tramava contra mim". Livro dos Atos dos Apóstolos, escrito por Lucas um dos evangelistas, 12-11.
É isso! Temos que confiar e obedecer, porque por mais que pareça que tudo está perdido, O Senhor é por nós, e não existirá ninguém contra nós!

Honra e glória somente a Ti, Senhor!




quarta-feira, 16 de maio de 2018

O amor de Cristo excede todo entendimento!


"Para que possamos ser cheios de toda plenitude de Deus precisamos compreender e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, pois Jesus é aquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos". Carta do Apóstolo Paulo ao povo de Éfeso, 3.19-20.
Devemos entender que o amor de Deus é profundo e alcança as profundezas do desânimo, do desespero e até da morte. Mesmo que estejamos aprisionados ou isolados, temos a Deus para nos consolar e nos libertar. E só nos apropriamos disso através da fé e da oração. Vale a pena tentar não é mesmo?


terça-feira, 15 de maio de 2018

Enquanto há vida, há esperança!


Enquanto há vida, há esperança!
"Recordo-me da minha aflição e do meu delírio, do meu profundo sofrimento e do meu enorme pesar. Lembro-me bem disso tudo, e a minha alma desfalece dentro de mim. Contudo, quero lembrar do que pode me dar esperança". Lamentações de Jeremias 3.19-23.
Apesar de todo o sofrimento que possa estar nos atingindo, devemos nos concentrar somente no que nos traz esperança, e a nossa esperança está no Senhor, pois as suas misericórdias nunca se esgotam, se renovam a cada manhã.

Honra e glória somente a Ti, Senhor!


quinta-feira, 15 de março de 2018

Somos inimigos de nós mesmos!




Observando a chuva que cai lá fora, posso ver as árvores do quintal molhadas e se debatendo ao vento, que nem está tão forte, mas significativo. A temperatura com certeza vai cair muito. É só o começo do outono, mas já podemos sentir no ar os dias frios dessa estação que antecede o inverno gelado.

            Essa atmosfera consegue mexer com o nosso psicológico, e se não tivermos a mente fortificada, passaremos de um estado de alegria para um ânimo depressivo. Isso tudo por causa da ausência do sol que teima em se esconder dentro das nuvens.

            Mas por que será que nos tornamos desanimados e com ânimo depressivo quando o sol se esconde? Quando escurece nossa glândula pineal entende que é noite e nos deixa com vontade de ir para cama e nos proteger, para esperar a noite que teoricamente chega.

            O que devemos fazer quando ainda estamos no começo da tarde? Se não podemos ficar quietos em casa, nos aborrecemos com isso e o nosso organismo se revolta. Aí nos deprimimos. Queremos dormir, ou no mínimo ficar quietos, mas não podemos.

            Sem sol, a vitamina D de nosso organismo cai, e ficamos mal, para baixo, sujeitos a fraturas ósseas. É um círculo vicioso! Dessa forma, e com tudo isso acontecendo, não precisamos de inimigos. Somos inimigos de nós mesmos, quando não compreendemos todo esse mecanismo e nos deixamos levar por ele. Brigamos e nos irritamos com tudo, e com todos e nos sentimos mal com isso.

            Isso só nos acontece quando não temos conhecimento de todo esse mecanismo ou quando não temos Deus conosco. Quando isso nos acontecer devemos pedir ajuda ao Senhor Deus, clamar por sua ajuda, para que não nos sintamos assim. “Senhor! Salva-me!”, Mt 14-30.  Implorar para que o Seu Santo Espírito faça morada em nosso coração e o deixe limpo de todas essas perturbações, que até fazem parte da vida, mas que não devem ficar conosco.

            Quando o Senhor Jesus está conosco tudo não passa de problemas circunstanciais momentâneos e que logo melhoram. Não sucumbimos, mas se isso acontecer logo nos levantamos e prosseguimos em direção aos nossos alvos de vida, que são trabalhar, ficar bem com a nossa família, e acima de tudo com Deus. Não deixemos que uma simples mudança de temperatura ou de qualquer outra coisa, modifique o nosso humor.
            Honra e glória somente a Ti, Senhor!
           

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Jesus, Nome sobre todo Nome!

Logo após silenciar o mar revolto pelo vento forte, Jesus e seus discípulos foram para a região dos gadarenos. Lá chegando veio ao encontro deles um homem possuído por um espírito imundo.

Em seguida Jesus encontrou Jairo, que era o principal de uma das sinagogas da cidade, profundamente triste porque sua filha de doze anos estava gravemente enferma.
Suplicou a Jesus que curasse sua filha. Jesus atendeu ao seu pedido. No caminho para a casa de Jairo, Jesus curou a mulher do fluxo de sangue. Alguém que padecia havia doze anos de hemorragia. Essa mulher havia gastado todo o seu dinheiro com remédios e viu em Jesus sua última chance de cura.


Mesmo sem forças ela se aproximou de Jesus e tocou com muita fé num pedaço de Seu manto e ficou curada.


Seguindo adiante, alguns homens vieram ao encontro de Jesus e avisaram que a filha de Jairo havia morrido. Jesus nem ouviu. Seguiu para a casa de Jairo e ressuscitou a menina, dizendo que ela apenas dormia.

Jesus Cristo era infinitamente misericordioso e realizava os milagres que achava necessário, mesmo que isso o tornasse “impuro”. Segundo as leis daquele tempo, um homem que tocasse um endemoniado, uma mulher perdendo sangue e um morto, estava impuro e tinha que se purificar antes de qualquer coisa.

Jesus não se preocupou com isso, e sim com a realização dos milagres e a libertação daquelas pessoas do sofrimento. Pela lei dos homens daquela época, Ele não deveria ter agido daquela forma. Ele não se preocupou com nada disso, pois a lei de Jesus é o amor.
Ainda hoje Ele age dessa mesma maneira. Basta apenas que creiamos que isso é possível. “Não temas, tão somente continue crendo”. Mc 5-36.

Honra e glória somente a Ti, Senhor!


domingo, 3 de dezembro de 2017

Por que vigiar e orar mais em dezembro?

Um dia desses, ouvindo músicas natalinas, fui transportada ao meu tempo de criança quando eu aguardava com ansiedade que o mês de dezembro chegasse. Era emocionante esperar pelos presentes, a montagem da árvore de Natal, as comidas deliciosas que iriam compor a mesa. Enfim, era tudo alegria em meu coração de criança. Para mim, ninguém adoecia nem morria nesses dias. Mas, eu sabia o que realmente seria comemorado: o nascimento de Jesus, e isso me alegrava. Sempre amei o mês de dezembro.

Hoje, já adulta, e bem adulta, diga-se de passagem, comecei a observar o outro lado do mês de dezembro. Percebi que é um mês em que devemos praticar o que Jesus diz em Sua Palavra: “Vigiai e orai, para não cairdes em tentação. O espírito, com certeza, está preparado, mas a carne é fraca”. Mt 26-41.

Jesus estava se referindo a batalha que enfrentaria. Dirigiu-se ao Getsêmani para orar e pediu que os discípulos orassem com Ele. Os discípulos dormiram e não vigiaram com o Mestre nem por uma hora.

Nossa batalha não tem nada a ver com a que Jesus enfrentou. Nada nesse mundo pode se assemelhar ao que Ele padeceu. Mas, esse alerta serve para nós, nesses dias de festas de Natal e Ano Novo.


Por deixarmos que nossa fraca carne se sobreponha ao espírito, nessa época, gastamos mais do que temos e ficamos endividados, bebemos muito mais do que nosso fígado pode suportar, nos estressamos ao ponto máximo para atender a todos os detalhes das festas que virão. Na verdade, não é essa a comemoração que Cristo esperava de nós. O nascimento d’Ele foi algo magnífico, porém de uma simplicidade gigantesca. A primeira cama em que Cristo dormiu foi uma manjedoura, uma espécie de tabuleiro onde se colocavam a comida dos animais, dentro de uma estrebaria, local onde se guardavam animais e seus pertences. Não existe simplicidade maior.

Devemos vigiar e orar sempre, porém, é nessa mesma época em que estamos alegres e felizes que abrimos a nossa guarda ao inimigo de nossas almas. O que anda em derredor de nós, procurando nos aniquilar. I Pe 5-8. Ele deseja destruir a alegria de nosso coração, a nossa felicidade. É também nessa mesma época que as pessoas mais ingerem bebidas alcoólicas e cometem os atos mais bárbaros, tudo em nome das festividades e dos recessos a que fazem jus. Esquecemo-nos de verdadeiramente comemorarmos o nascimento de Cristo Jesus, aquele que não tinha onde recostar sua cabeça: “E disse Jesus: As raposas têm suas tocas, e as aves do céu têm seus ninhos, mas o Filho do homem não tem onde repousar a cabeça”. Mt 8-20.

            Que possamos verdadeiramente, comemorar o nascimento de nosso Salvador e Senhor Jesus Cristo, com alegria, amor e simplicidade o que com certeza O alegrará, porém, nunca nos esquecendo de suas recomendações: “Vigiar e orar, fortalecendo o espírito em detrimento da carne, através da oração”.


Honra e glória somente a ti, Senhor!
Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics