quinta-feira, 28 de julho de 2011

O toque de Deus em nosso coração.



            E foi também Saul para sua casa, a Gibeá; e foram com ele, do exército, aqueles cujo coração Deus tocara.” I Sm 10-26.
Saul enquanto reinou em Israel viveu cercado de homens que o respeitavam e de outros que o desprezavam e o invejavam. Os que o invejavam não acreditavam que Saul os pudesse livrar de nada. “Mas os filhos de Belial disseram: É este o que nos há de livrar?” I Sm 10-27.
            Eles o invejavam porque imaginavam que poderiam ter sido escolhidos no lugar de Saul para reinar em Israel. Quanto mais Saul ficava em evidência, mais eles o invejavam. 
Nos dias de hoje também vivemos cenas desse mesmo tipo. Convivemos com pessoas que nos admiram e também com outras que nos invejam e desprezam porque acham que são, ou que poderiam ser melhores do que nós.
Devemos pedir todos os dias ao SENHOR, que nos ajude a discernir quem são os lobos em pele de cordeiros. Quando Saul retornou a sua casa, com ele foram os homens cujo coração Deus tocara. Perceba o termo, Deus tocou o coração de alguns homens desse exército. 
Saul só poderia contar com a honestidade dessas pessoas, os que foram tocados pelo Senhor. Apesar de Saul não ter sido o rei escolhido segundo o coração de Deus, o Senhor o protegia. Conosco também acontecem essas coisas. Podemos citar situações parecidas que vivemos em nosso país. 
Quando estamos no período das eleições, principalmente para presidente da República, cada um de nós, torce por algum candidato de algum partido. Quando nosso candidato perde, ficamos frustrados e com raiva do que ganhou. Isso não deveria acontecer, pois apesar de termos nossas preferências, devemos torcer e principalmente orar por aquele candidato que ganhou as eleições, pois este será o dirigente de nosso país por quatro anos. Temos que pedir ao SENHOR que ajude, ilumine, e unja essa pessoa para que ela possa dar o seu melhor em prol de nosso país. É nossa obrigação orar por nossos presidentes, e, isso independe se quem ganhou é o candidato que nós votamos, ou não. 
Lendo essa passagem da Bíblia, sinto como que se eu mesma fosse tocada diretamente em meu coração por Deus. Esses homens não foram tocados por qualquer um, foi o toque do próprio Deus, e que graça eles receberam! 
Que possamos pedir todos os dias sem cessar, que o Senhor nos toque em nossos corações para que possamos cada vez mais ser fiéis a Ele e a sua Palavra, e que possamos orar até mesmo por àqueles que não simpatizamos tanto.
 Honra e glória ao único Deus!




quarta-feira, 27 de julho de 2011

O que oferecer a Deus nos dias de hoje?


No livro do Profeta Malaquias, o SENHOR cobra do povo de Israel o respeito e temor que deveria ser dado ao Deus de seus antepassados. O nome do Senhor estava sendo desprezado pelo povo, através de sacrifícios impuros ofertados por eles.
            O povo não estava oferecendo as melhores ofertas ao SENHOR Jeová. E, Ele os questionou se ofereceriam algo desse tipo a alguma autoridade.
            O SENHOR deixa bem claro que não receberá mais ofertas impuras. Ele diz que não muda, e que desde o princípio o povo o tem desobedecido e desprezado as leis dadas por Ele.
E nos dias de hoje, o que devemos oferecer ao nosso Criador? O que temos de semelhante a toda essa narrativa? Nós cristãos não precisamos mais oferecer ofertas queimadas em altares de sacrifício. O Senhor Jesus já pôs um fim nisso tudo, através de sua morte na cruz do calvário. Hoje, só precisamos ser fiéis, termos fé e adorarmos ao Senhor em Espírito e em verdade.
            Acabaram-se os sacrifícios de sangue. Nos dias de hoje Deus só nos pede a nossa obediência, que andemos em seus caminhos, que não nos desviemos nem para a direita nem para a esquerda, e que busquemos a santidade.
Devemos andar sempre na direção do Senhor Jesus e obedecê-lo sempre. Se assim o fizermos, Ele nunca nos desamparará, sua presença será uma constante em nossa vida. Tudo o que pedirmos em oração obteremos e todas as portas se abrirão para que possamos entrar e desfrutarmos das maravilhas que o Senhor Jesus tem para nós.
“Vocês podem pedir qualquer coisa em meu nome, e eu o farei, e assim o Pai será glorificado por meio do Filho. Sim, peçam qualquer coisa em meu nome, e eu o farei.” Jo 14-13.

O SENHOR nos promete em Sua Palavra não deixar que soframos, Ele não nos castigará porque um pai não castiga o filho obediente. ML 3-17.
Fala também que os orgulhosos e os maus serão queimados como palha. Que serão destruídos, como uma árvore queimada das raízes até os ramos. ML 4-1.
Porém tem uma linda promessa para os obedientes: Nascerá o sol da justiça, trazendo cura em seus raios. Serão curados e saltarão de alegria, como bezerros soltos no pasto. ML 4.2-3.
O que o SENHOR Jeová deseja em troca? Animais sacrificados em altares de sacrifício? Não. O Senhor Jesus nos possibilita conquistar tudo isso através da fé, da obediência, de andarmos em bons caminhos, seguirmos e cumprirmos todos os mandamentos que o SENHOR Deus nos deixou. Isso é difícil? Sim, é difícil, mas não é impossível. Basta apenas que sejamos obedientes. 
Que o SENHOR nos ajude a obedecer, para que possamos fazer jus ao sacrifício de Jesus!
Ao SENHOR toda honra e toda glória!



segunda-feira, 25 de julho de 2011

A resiliência e o cristão.


            O termo resiliência se originou da física e significa a capacidade de que são dotados alguns materiais de acumular energia quando exigidos ou submetidos a estresse sem ocorrer ruptura. Quando a tensão cessa, não haverá nenhuma deformação.
            A psicologia tem usado esse mesmo termo e o definiu como a capacidade do indivíduo lidar com problemas, superar obstáculos ou resistir à pressão de situações adversas, choque, estresse, etc., sem entrar em colapso. Também pode ser descrita como a capacidade que o indivíduo tem de entrar em situações difíceis e angustiantes, sair dela, não ileso, mas, sem sequelas.
            Todo ser humano que crê em Deus, o Pai, e em Jesus Cristo, o Filho, com toda certeza é um ser resiliente. 

O verdadeiro cristão está habituado a passar por algumas dificuldades, sem perder a fé que deposita em seu Salvador. Se, ao passar por algum deserto, nós não sairmos dele com nossa fé fortalecida e com a certeza que o SENHOR esteve conosco, não somos verdadeiros cristãos e também não temos nenhum pingo dessa capacidade de resistir às dificuldades e muito menos sair delas sem sequelas. 
Os que possuem a fé em Cristo, quando saem de situações desse tipo se tornam mais fortalecidos e usam a experiência como aprendizado. Assim, é a vida do cristão. Esse termo “ter resiliência” se aplica perfeitamente a nós cristãos, pois Jesus disse: “ no mundo tereis aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” Jo 16-33.

            Quando Jesus nos exorta a termos bom ânimo, é como se Ele estivesse nos dizendo: “Tenham resiliência”. Vocês conseguirão sair dessa situação melhores do que antes. Basta que tenham fé em mim, pois eu venci o mundo.
 É preciso crer no Senhor e na Sua Palavra. Temos que crer verdadeiramente, que as coisas podem mudar para melhor. Existe esperança no Senhor.
O Senhor nos concede a capacidade de retornarmos ao nosso equilíbrio emocional, mesmo após sofrermos grandes pressões ou estresse. Conseguiremos lidar com todas as situações estressantes sem perder o equilíbrio, e se por acaso o perdermos em algum momento, logo o teremos de volta.

O Apóstolo Paulo é um exemplo de resiliência. Ele foi capaz de passar por muitas adversidades, mas retornava vitorioso, e mais forte, era como se ele fosse um vaso de Deus amassado, rachado, porém um vaso confeccionado com um material argiloso ou de barro maleável, e moldável nas mãos de Deus, com a capacidade de logo voltar à forma original e ainda melhor, com mais fé em seu Criador.
Que possamos ser como Paulo, que o SENHOR nos conceda a mesma fé que ele teve que mesmo nas lutas e nos sofrimentos nunca perdeu a confiança em Deus. “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé.” 2 Tm 4-7.
Você gostaria de ser resiliente?  O segredo é ter fé, “e nos deixarmos moldar pelo Espírito Santo, para que nos tornemos mais e mais semelhantes ao Senhor”. II Co 3-18.
Ao Senhor toda honra e toda glória!


sábado, 23 de julho de 2011

A importância do diálogo no casamento.

Ed Wheat, autor do livro “O amor que não se apaga”, diz que como conselheiro cristão descobriu que o silêncio do marido – a aparente indiferença aos sentimentos da esposa e sua recusa em discutir coisas com ela – pode destruir um casamento.
A frase, “A infidelidade mata milhares e o silêncio dezenas de milhares!”, pode ser comparada com a passagem de 1 Sm 18:7, que diz que “Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares”. Sabemos que essa comparação criou uma inimizade mortal entre os dois. Daí a idéia de que o silêncio, em certos casos pode produzir até a morte, (Wheat, p.95).
A falta de diálogo no casamento pode provocar a falência múltipla de tudo o que foi construído ao longo da união.
Pessoalmente, concordo com o autor, e tenho certeza de que o inverso também é verdade. Existem mulheres que não gostam de discutir nada com os maridos. Muitas vezes eles as procuram para conversar sobre assuntos inerentes ao casamento, problemas de trabalho, possíveis problemas de saúde, desejam trocar idéias sobre esses assuntos, e suas mulheres preferem a televisão, as amigas, ou qualquer outra coisa para evitar conversar com seus maridos. Isso é um péssimo sinal. 
Na verdade quando evitamos nossos maridos ou nossas esposas, algo muito sério está acontecendo nessa relação.

É preciso que haja amizade entre marido e mulher. O amor tem que ser natural entre eles. Ambos devem gostar de estarem próximos um do outro. 
Quase todo o tempo, em uma relação a dois, vivenciamos o “amor amizade”, o “amor natural”, e também o amor fraterno e afetivo. Esse é o contexto de um casamento.
O amor Eros é muito importante, porém não ficamos em estado de relacionamento sexual às vinte e quatro horas do dia.
Já o diálogo deve estar presente o tempo todo, pois ambos precisam desabafar os acontecimentos do dia, seja no trabalho ou mesmo no lar, onde muitas coisas acontecem. Se, marido e mulher não puderem contar com eles mesmos como confidentes um do outro, como funcionará esse relacionamento onde ninguém sabe o que se passa no coração do outro? 
A infidelidade destrói o casamento, mas a falta de diálogo também pode levá-lo ao término. Maridos e esposas conversem com seus parceiros de jornada, e não permitam que outras pessoas interfiram em suas vidas, só Jesus.
            “O meu amado é como uma macieira; comparado com outros jovens, ele é a árvore mais bonita do pomar. Tenho prazer de me sentar à sombra dele; como é gostoso o seu fruto.” “Sim, você é um lírio entre os espinhos; assim é minha amada entre as outras moças.” Ct 2.2-3.
Ao Senhor honra e glória!

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Como adquirir imunidade espiritual.

O que vem a ser essa tal de defesa imunológica? É a capacidade que o nosso organismo tem de identificar substâncias estranhas que podem nos causar doenças. Dependendo do estado em que se encontra, ele consegue expelir ou não, essas substâncias nocivas. 
Ela é mantida em alta, quando nos alimentamos bem, quando dormimos a quantidade de horas que necessitamos, quando praticamos alguma atividade física, porém, sem exageros, e fazemos uso de algumas vitaminas que complementem nossa alimentação, que muitas vezes não é completa, o lazer, o amor, enfim são muitos os fatores que nos ajudam a manter nossa imunidade funcionando bem, nos livrando das infecções e bactérias que circulam no ambiente.  Essa é a imunidade física. E demos algumas dicas sobre como mantê-la em alta.
E a espiritual? Como será que ativamos e a mantemos? E o que será que acontece se nós estivermos com ela em baixa?

A imunidade espiritual é a capacidade que temos de nos mantermos saudáveis espiritualmente, ou seja, se não mantivermos nosso lado espiritual bem, nosso corpo também não ficará, e se o corpo estiver mal à parte espiritual também estará em baixa.
Nossa imunidade espiritual entra em falência, quando vivemos situações mal resolvidas, pensamentos de inveja, quando nos intrometemos na vida de outras pessoas da maneira errada, quando nos deixamos levar por influências de “amizades”, quando nossos pensamentos são negativos em relação a tudo, a falta de perdão, quando damos ouvidos a opiniões negativas, e principalmente quando não oramos, também são muitos os fatores que podem ocasionar essa baixa em nossa imunidade espiritual. Assim como o nosso corpo, nosso espírito necessita de “anticorpos” para protegê-lo. 
Como podemos adquirir esses anticorpos que nos darão imunidade ao espírito? Primeiro, é necessário que cultivemos somente bons pensamentos. Não devemos nos deixar influenciar por pessoas invejosas, maledicentes, devemos resolver todas as situações em nossa vida, as amizades devem ter altíssimo quilate.


Não devemos sentir inveja de ninguém, ter pensamentos claros e os objetivos com relação às coisas da vida e baseá-la sempre em Deus, jejuar se possível, usar o nosso livre-arbítrio de maneira adequada, e acima de tudo orar muito. Posso afirmar que a oração exerce a função de um poderoso anticorpo para que nosso espírito e nossa alma não adoeçam.
Procurem lugares tranquilos onde possam meditar na Palavra de Deus para a sua vida e o momento que você está vivendo. Para meditar não é necessário ir a um templo budista. Basta que você se encontre em um lugar de paz, e o melhor templo para isso é a natureza que Deus nos deu, que está bem perto de nós e, não nos custa nada.


Jesus recarregava suas baterias enquanto ser humano, e reativava seu lado espiritual, se retirando para lugares onde pudesse ficar a sós com seu Pai. Conosco não é nada diferente.

 Precisamos nos revestir da armadura de Deus e todos os dias dobrarmos nossos joelhos para pedir a misericórdia do SENHOR para nossa vida, que muitas vezes fica tão atribulada que culmina com a diminuição de nossa capacidade de não contrair doenças. O corpo está ligado ao espírito inexoravelmente, não podemos escapar disso. Daí a importância de nutrirmos corretamente os dois, pois quando um adoece o outro também adoecerá.  

Paulo em sua carta ao povo de Éfeso, diz que devemos estar revestidos da armadura de Deus, para que possamos estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Esse revestimento é o antídoto para que nossa imunidade espiritual esteja sempre funcionando, porque a nossa luta não é contra a carne e sangue, mas, sim, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Ef. 6-12.

Se nos esquecermos disso, nossa vida fica tão atribulada, as coisas se tornam tão difíceis que nossa imunidade espiritual cai, prejudicando a imunidade corporal e, aí adoecemos.
Portanto, caríssimos, devemos reforçar a nossa imunidade espiritual através da oração, do jejum, do cultivo de bons pensamentos, da leitura da Palavra, da fé, e do não envolvimento nas coisas carnais, assim, teremos enormes chances de nunca adoecermos, nem corporalmente, nem espiritualmente. “Tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficai firmes. Tomai o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno, orando em todo tempo com toda oração e súplica no Espírito e vigiando nisso com toda perseverança e súplica por todos os santos.” Ef. 6.13,16,18. 

Vamos tentar dar um reforço em nossas imunidades? Então mãos à obra.
            Honra e glória somente a ti Senhor!







segunda-feira, 18 de julho de 2011

Em que direção você está seguindo?

No livro do Profeta Jeremias no capítulo 7 o SENHOR fala ao povo de Israel dizendo: “Chega de ofertas queimadas e sacrifícios! Elas não valem nada para mim; aproveitem toda essa carne como alimento.” Jr. 7-21.  
A ordem do Senhor era que o povo lhes obedecesse: “Obedeçam a mim, e eu serei o seu Deus e vocês serão o meu povo. Vocês andarão em todo caminho que eu lhes mostrar, para que tudo corra bem!”.  Jr.7-23. 
            Desde sempre o Senhor pedia, exortava e exigia de seu povo a obediência. Com a obediência vinha à promessa: “andem pelo caminho que eu lhes mostrar para que tudo corra bem”.  
Nos dias de hoje não é muito diferente. O mesmo Deus continua a nos oferecer as mesmas coisas e a nos pedir obediência, tenta nos mostrar o caminho que devemos seguir, e nós continuamos a desobedecer, seguindo por caminhos obscuros e muitas vezes sem saída, e a fazer barganhas com Deus. 
O Senhor quer apenas que sejamos obedientes à Sua vontade que é soberana. É muito simples.
Entender que a vontade de Deus é soberana é um tanto quanto complicado aos que se dizem salvos, quanto mais àqueles que vivem carnalmente. O Senhor só quer que passemos a dar ouvidos à Sua voz, para que “tudo vos vá bem”, para que tudo corra bem.
E como poderemos alcançar a estatura de pessoas obedientes? Só através da ajuda do Espírito Santo de Deus e da fé, aquela que remove montanhas, e nos leva à salvação em Cristo Jesus.
A fé não é um evento que ocorre uma vez na vida e, não é só possível aos super crentes, ela deve ser galgada durante toda nossa vida terrena e todos nós a  experimentamos em certos momentos da vida.
Isso nos aproxima de Deus. Cada vez que temos uma crise de fé, isso com certeza nos afasta um pouco do Senhor. É como se nos assemelhássemos ao caranguejo que anda para trás. Em vez de nos aproximarmos mais de Deus para um relacionamento mais íntimo, nos afastamos d’Ele e nos aprofundamos mais em nosso apetite carnal desordenado.
Afundamo-nos como o caranguejo, nos lamaçais profundos em que eles são encontrados.  
Tudo isso pode ser modificado, basta que nos aprofundemos mais e mais no manancial de água pura que é o Senhor, através da obediência e da fé, e da fé e da obediência, pois uma coisa está diretamente ligada à outra.
“Para o SENHOR é mais importante obedecer às suas leis e viver honestamente do que oferecer sacrifícios a ele.” Pv 21-3.
Em que direção você está seguindo? Você está andando para frente, sem desvios à direita ou à esquerda, cheio de fé e obedecendo as ordens do Senhor, ou andando para trás como um caranguejo? Sem fé é impossível agradar a Deus e sem obediência não poderemos gozar plenamente dessa água purificadora e consequentemente, salvadora que é Jesus. 
O caminho e a direção certa é Jesus. Para isso precisamos obedecer e não sacrificar.
“O que o Senhor deseja do seu povo não são sacrifícios e ofertas; o Senhor não deseja sacrifícios e ofertas, mas ouvidos prontos a obedecer à sua voz.” Salmo de Davi 40-6.
            Toda honra e toda glória ao Senhor!






sábado, 16 de julho de 2011

O cuidado materno de Deus por seus filhos.

Em algumas postagens anteriores, falamos sobre o Sustento do Todo Poderoso – O El Shaddai. Dissemos que Deus quer nos cuidar e proteger como uma mãe protege e cuida de seus filhos. Podemos ver em alguns capítulos da Bíblia que ela nos fala desse lado maternal e zeloso de Deus por seus filhos.
            Sabemos da nossa condição de fragilidade. Nossa vida está ligada a nós apenas por um sopro. No mesmo instante em que estamos vivos, como um sopro que apaga uma vela, nossa vida também pode ir-se. A isso damos o nome de finitude, somos finitos e podemos partir daqui, a qualquer momento, basta apenas um sopro de Deus. Ele é quem define o exato momento.
            Muitas vezes nos pegamos pensando nisso. Quando será? Como será? Enfim, somos eternos perguntadores desse assunto tão difícil de entender e que nos causa tanta angústia. “A angústia da finitude da vida”.
O que faz uma criança quando tem medo, se sente angustiada ou insegura com alguma coisa? Pede socorro a mãe. Se possível vai para o seu colo e se aninha nele. E, a mãe consola seu filho com carinho, com acolhimento. Assim, também, Deus quer nos consolar, tal qual uma mãe faria com seu filho.

Portanto, amados do Senhor, quando estiverem angustiados, tristes, preocupados com a finitude da vida, pois essa é uma das maiores preocupações do homem, corra para os braços daquele que quer nos proteger. Peçam socorro a Deus, Aquele que quer nos socorrer tal qual uma mãe faria com seus filhos. Desfrute do cuidado materno de Deus, de poder acomodar-se no colo do SENHOR.

“Eu mesmo vou consolar vocês, em Jerusalém, como uma mãe consola seu filho.” Is 66-13. 

Em tudo devemos buscar o acolhimento de Deus, principalmente quando estivermos nos sentindo sem nenhum apoio, quando precisamos ser consolados e ninguém consegue nos consolar. Só o SENHOR O Deus todo Poderoso, através de sua face materna, poderá nos abrigar.
“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes eu quis ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintinhos debaixo das asas, e tu não quiseste!” Mt 23-37.

Que possamos ser como as crianças, que quando estão em grande necessidade, buscam o colo materno sem vergonha. A criança não possui discernimento para isso, ela é movida apenas pela necessidade de acolhimento. Que possamos usar o nosso discernimento de pessoas adultas para, no momento das aflições, buscarmos a face materna de Deus e clamarmos pelo seu consolo. Ele com certeza virá em nosso auxílio.
Quando estivermos passando pela angústia da finitude da vida, quando estivermos nos sentindo fracos, oprimidos e sem esperança busquemos abrigo no colo de Deus.
“Pelo contrário! Meu coração está calmo e tranquilo; sou como uma criança recém-nascida depois de ser amamentada pela mãe. Acalmei meu coração e fiquei em paz.” Salmo de Davi 131-2.
Essa é a paz, a que excede todo entendimento, se sentir alimentado, nutrido, ter um coração feliz, estar em paz tal qual uma criança que ainda mama, só o SENHOR pode nos proporcionar isso.
Honra e glória somente a ti Senhor!



sexta-feira, 15 de julho de 2011

Oração para os momentos de angústia e desfalecimento. Baseada no Salmo 143.


Ó SENHOR, ouça a minha oração!
Escute os meus pedidos por misericórdia e responda-me.
Estou me sentindo como se estivesse em uma prisão escura,
e estreita, como num sepulcro.
Por isso, meu coração já está sem forças e em completo pânico.
Ó SENHOR, responda-me depressa porque meu espírito já
desfalece! Não se esconda de mim.
Mostre-me o seu amor fiel já pela manhã, porque confio no Senhor.
SENHOR, preserve a minha vida, por causa do seu nome.
Demonstre a sua justiça perfeita livrando minha alma de toda essa angústia.
Eu oro em nome de Jesus!

quinta-feira, 14 de julho de 2011

El Elion – O Deus Altíssimo. O criador e possuidor dos céus e da terra.

    

         Quantas vezes nos pegamos dizendo: “Isso é meu, não é seu.” “Eu comprei, por isso é meu.” “Tudo o que tenho foi comprado com o meu dinheiro.” Achamos sempre que tudo o que compramos com nosso dinheiro é nosso, e só nosso.
            Esse é o maior dos enganos. Não possuímos nada nessa vida. Não somos donos de absolutamente nada. Partindo desse pressuposto, porque valorizamos tanto os bens materiais? Carros, casas, roupas, jóias, computadores? Até mesmo nossos filhos não são nossa propriedade.
            Tudo o que recebemos de Deus, pertence a Ele e somente a Ele. Somos despenseiros, administradores, mordomos de Deus. Apenas administramos o que Ele nos dá. Por isso do mesmo jeito que Ele nos dá, Ele também pode nos tirar. Assim como nos deu a vida, também a tirará, na hora que for necessário e de Sua vontade.
            O El Eliom, O Deus Altíssimo, é o legítimo possuidor de todas as coisas. É Ele quem possui os céus e a terra, e tudo o que neles há.  

El Elion é um dos nomes compostos de Deus usados na Bíblia Sagrada. Cada um desses nomes diferentes revelam um lado diferente da natureza e do caráter de Deus.  Já falamos em um post anterior sobre outro nome composto de Deus, O El Shaddai, que significa o Todo Poderoso. Em outras postagens falaremos sobre os outros nomes de Deus. 


Que a bênção do Deus Altíssimo, criador dos céus e da terra, seja sobre você, e bendito seja o Deus Altíssimo que entregou os seus inimigos em suas mãos.” Gn 14.19-20.

Portanto, amados, vamos tentar nos desapegar de todas as coisas materiais que nos prendem, e nos envolvem como se fosse um novelo de lã embolado. O Senhor não se agrada disso, pois: “aprenderão que só o SENHOR, o Altíssimo domina toda a terra.” Sl 83-18.

            Se realmente conseguirmos nos desapegar das coisas materiais, nossa vida se tornará mais leve. Nossas preocupações se voltarão para as coisas que de verdade possuem valor, tais como: amor, esperança, misericórdia, bondade, caridade, enfim para coisas não perecíveis e que a traça não corrói como os bens materiais.
            “E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me.” Mc 10-21.

Nada do que temos é nosso, e sim do Deus Altíssimo, O El Eliom.

Honra e Glória ao Deus Altíssimo!

    

terça-feira, 12 de julho de 2011

O olhar amoroso de Deus.


            É triste, observarmos como algumas pessoas olham para outras discriminando. Tentam descobrir quem são essas pessoas, como são, externamente falando, querem saber se possuem bens, dinheiro ou coisas materiais, e até mesmo a sua índole, através das roupas e outras coisas externas. Um dos piores julgamentos é o que se faz observando o exterior do ser humano. A possibilidade de erro é imensa.
            “Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.” I Sm 16-7.
             Samuel quando viu Eliabe, filho de Jessé, achou que era ele o escolhido pelo SENHOR, para ser coroado rei, em lugar de Saul, o rei escolhido segundo o coração do povo. Porém, o SENHOR já tinha o escolhido o rei segundo o Seu coração.
            O escolhido não era Eliabe, e sim, Davi o filho mais novo de Jessé, que pastoreava as ovelhas do pai. 
O Senhor redarguiu Samuel dizendo que aquele não era o escolhido. Pediu que Samuel não julgasse o homem pela aparência ou sua estatura, pois Ele o Senhor não via a aparência exterior, e sim examinava os pensamentos e as intenções do coração. Dessa forma nenhum filho de Jessé dos que estavam na casa foi escolhido. O filho mais novo que apascentava as ovelhas do pai era o rei escolhido segundo o coração de Deus.
O julgamento do homem é feito através das aparências, e quase sempre nos enganamos quando avaliamos alguém pelo exterior, isso é totalmente errado, pois como não conseguimos ver através do coração, olhamos aquilo que recobre o ser humano, ou seja, as roupas, sapatos, objetos pessoais, e porque não dizer para a cor e o tipo físico das pessoas. Roupas, jóias, e outros artefatos não podem nunca servir de referência para uma pessoa, assim como seu tipo físico. Samuel errou feio quando achou que o filho de Jessé que era mais forte e de maior estatura fosse o rei escolhido por Deus. “E, abrindo Pedro a boca, disse: Reconheço por verdade que Deus não faz acepção de pessoas.” At 10-34.

            O exterior de uma pessoa não diz nada sobre ela. Às vezes vemos alguém bem vestido e essa pessoa pode ser um assassino, psicopata, enfim, pode não ser boa gente. Em contrapartida, alguém que não esteja tão bem vestido, pode ser um grande ser humano, e um servo, ou serva de Deus. “Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redarguidos pela lei como transgressores.” Tg 2-9.
            Posso dizer que já fiz a experiência de adentrar em um shopping não tão bem vestida como as pessoas que lá estavam e receber diversos olhares intrigados. Olhavam-me como se eu não fizesse parte da paisagem.
 Para esses observadores eu estava destoando completamente do quadro geral. Para eles eu destoava, porém, para mim não. Estava me sentindo muito bem com minha roupa.
            Não sei o que passa pela cabeça das pessoas, mas sei perfeitamente que fui olhada como se fosse alguém diferente, e isso é discriminação, e o Senhor não se agrada disso.
            “Mas agora, ó SENHOR, tu és nosso Pai; nós o barro e tu o nosso oleiro; e todos nós a obra das tuas mãos.” Is. 64-8.
Somos verdadeiramente filhos de um mesmo Pai, consequentemente somos todos irmãos. Que não haja discriminação entre nós, por que: “O SENHOR não é um Deus que tem prazer na injustiça; o SENHOR não tolera o mal, por menor que seja. Por isso, quem pensa muito de si mesmo não terá lugar na sua presença. O SENHOR odeia todos os que praticam a maldade.” Sl.5.4-5.
            Nossos pensamentos, e as intenções de nosso coração é que devem ser mantidas impecáveis, pois o único julgamento que deve nos importar é o de Deus, e para Ele, só interessa que tenhamos um coração verdadeiramente desprovido de maldade.
“Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.” Ef.4-6.
Toda honra e toda glória somente a ti Senhor!
            


domingo, 10 de julho de 2011

Quem poderá nos separar do amor de Deus?


Quem poderá nos afastar do amor de Deus? Paulo em sua carta aos Romanos diz: "nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.” Rm 8-39. 
Será isso possível? Por ser infinito, o amor de Deus por nós, também é eterno e por isso nada nem ninguém poderá nos afastar d’Ele. É provável, que só nós mesmos poderemos conseguir tal proeza.
Uma vez que somos possuidores do livre arbítrio, se o usarmos da maneira errada poderemos ocasionar certo afastamento de Deus.
Deus não tem nenhuma intenção de nos abandonar, Ele morreu por nós. Porque teria se sacrificado por nós? O Senhor só nos abandonará se nós dermos motivos para isso. “Ah, como é grande a sua bondade para com aqueles que respeitam e obedecem ao Senhor! O Senhor mostra essa bondade a todos que procuram sua proteção.” Salmo de Davi 31-19.
Como temos usado o nosso livre arbítrio? Temos tido uma vida respeitosa e obediente para com Deus? Ou achamos que, seja lá o que fizermos, Ele sempre estará ao nosso lado?

É um engano pensarmos dessa forma. A verdade é que: Nada nem ninguém poderá nos separar do amor de Deus, somente nós, podemos fazer isso, se formos desobedientes, e praticarmos atos que não condizem com a nossa condição de filhos de Deus.
“Aquele que me traz sua oferta de gratidão está me honrando! Quem se esforça para andar nos meus caminhos receberá a salvação de Deus.” Salmo 50-23.
Para que o Senhor nunca se afaste de nós, devemos andar sempre de conformidade com a Sua Palavra. “Clamem a mim quando estiverem em dificuldade, e eu os salvarei; e aí vocês me horarão. Mas ao perverso Deus diz: De que adianta ficar repetindo as minhas ordens escritas e as minhas promessas, se no fundo do coração você despreza a minha disciplina e desobedece às minhas palavras.” Salmo 50.15-17.



Se agirmos assim, definitivamente, nada nem ninguém poderá nos afastar do amor de Deus, nem nós.
Honra e glória somente ao Senhor!
Marana-tá! Vinde, Senhor nosso! 
Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics