sábado, 30 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 30 – Quietude.

"O meu povo habitará em morada de paz, e em moradas
bem seguras, e em lugares quietos de descanso."
O contrário de quietude é a inquietude, ou inquietação. Paulo em sua carta ao povo de Filipos os exorta a que não andem inquietos. Quietude significa paz, sossego, bem-estar, tranquilidade do corpo e do espírito, silêncio.

Não deveríamos temer coisa alguma porque temos o nosso Deus, que é um Deus de justiça e misericórdia. Desde o Antigo Testamento Deus nos convida a descansarmos n’Ele a ficarmos quietos e tranquilos. “Porque assim diz o Senhor Deus, o Santo de Israel: Voltando e descansando sereis salvos; no sossego e na confiança estaria a vossa força, mas não quisestes.” Is.30-15.


Desde os mais remotos tempos o homem segue desobedecendo a Deus, não se preocupando com o seu descanso, com o lazer, com as reuniões familiares, com a quietude. O homem se afasta cada vez mais do que é natural, bom e agradável para ele e também para Deus. Não adianta procuramos fora de nós mesmos a tranqüilidade e a quietude. Ela está dentro de nós e nos é dada por Deus. Somente Deus pode nos dar o que necessitamos e devemos pedir e esperar com confiança e sossegadamente.


Estarmos quietos e em silêncio nos traz saúde. “Aqueles que conservam a sua paz interior em meio ao tumulto da vida moderna estão imunizados contra as doenças nervosas.” (Aléxis Carrel – médico). E o Talmude nos diz que: “O silêncio é a cerca construída em redor da sabedoria.” Um autor anônimo: “O recolhimento é para a alma o que o sono é para o corpo: repousa e revigora.” Inácio Larranäga, diz que: “Hoje em dia o homem não sabe o que fazer com o silêncio.” Todas as afirmativas são verdadeiras. Para termos saúde física, espiritual e mental, devemos nos dedicar mais ao silêncio e a quietude da oração fervorosa dedicada a Deus, àquele que nos criou e nos provê de tudo o que necessitamos. O Senhor é quem nos dá a força necessária para enfrentarmos as dificuldades. Devemos colocar de lado nossos planos bem ordenados, e permitir que Ele aja conforme a sua vontade. Para isso, devemos estar treinados na arte da quietude e do silêncio. “O meu povo habitará em morada de paz, e em moradas bem seguras, e em lugares quietos de descanso, ainda que uma chuva de pedra destrua o bosque, e a cidade seja inteiramente abatida.” Is. 32.18-19. Aquiete-se, e descanse nas promessas do Senhor.


Soli Deo Glória!
Glória somente a Deus!


sexta-feira, 29 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 29 – Paz

O Senhor sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz.
O versículo acima fala de bênção.  A bênção era uma forma de pedir o favor de Deus sobre as pessoas.  E, especificamente a bênção do texto acima nos deseja a paz. Paz significa: quietação de ânimo, sossego, ausência de guerra, boa harmonia, paciência, tranquilidade da alma.

Quando temos paz, na verdade possuímos tudo, nada com paz é tudo, e tudo sem paz é nada, sem paz não há sossego, não há entendimento entre as pessoas. Sem paz podemos perder a saúde. O Apóstolo Paulo em sua carta ao povo de Filipos, diz: “Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus, pela oração e súplicas, com ação de graças. E a paz que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.” Fl.4-6-7.

Quando Paulo diz que não devemos andar inquietos com coisa alguma, ele está nos dizendo que estar inquietos, significa não ter paz, pois a paz é traduzida como quietação de ânimo ou tranquilidade da alma, que é o contrário de andar inquieto.

Paulo nos exorta a não nos preocuparmos com nada. Isso parece impossível não é mesmo? Mas ele deixa bem claro que é possível, basta que transformemos   nossas preocupações em oração, e só aí nós poderemos usufruir da paz de Cristo, a que excede todo o entendimento.

A paz e a paciência andam juntas e de mãos dadas. Sem paciência eu não posso ter paz, nem doméstica, nem no trabalho, na igreja, entre amigos e na sociedade. Uma depende da outra. Não posso ter paz se não tenho paciência, e sem paciência não tenho paz. Para ter e entender a paz que excede todo o entendimento que o Apóstolo Paulo relata em Filipenses 4.7, temos que crer que a paz de Deus ultrapassa a compreensão intelectual. Não se pode compará-la com o pensamento positivo nem com os bons sentimentos, ela vem de sabermos que Deus está no controle de todas as coisas e assim ficamos livres de toda ansiedade.


A paz que excede todo o entendimento é a duradoura paz. Ela é diferente da paz do mundo, normalmente definida como ausência de conflitos. A paz de Cristo é uma certeza de segurança em qualquer circunstância; se a temos não precisamos temer o presente nem o futuro.


“Você não precisa ter medo porque eu sou o seu Deus. Eu lhe darei forças; eu vou ajudar e manter você em pé, firme, com a minha vitoriosa mão direita.” Is. 41-10. Que possamos confiar em nosso Deus, pois Ele nunca se esquece de nós e nos dá a paz que excede todo o entendimento.


Ao Senhor honra e glória!
           





quinta-feira, 28 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 28 – O Poder da Oração.

Bendito seja Deus, que não rejeitou minha oração; nem
desviou de mim a sua misericórdia.
“Deus não rejeita oração, oração é alimento nunca vi um justo se resposta, ou ficar no sofrimento, basta somente esperar o que Deus irá fazer, quando ele  estende suas mãos é a hora de vencer.”

Essa letra de música é bem conhecida no meio cristão. Ela define o que é a oração. Podemos afirmar que quando oramos com sinceridade e fervor, ela exerce um grande poder junto a Deus à nosso favor. A oração nos alimenta em todos os momentos de angústia. Se realmente crermos, pedindo receberemos. “E tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis.” Mt. 21-22. Mas há um, porém, o que Jesus diz nesse versículo não é a garantia de que podemos obter qualquer coisa se, simplesmente, pedirmos a Jesus e crermos. Deus não concede favores que possam ferir alguém ou que violariam a vontade e a natureza divinas. Para serem concedidos, nossos pedidos devem estar em harmonia com os princípios de Deus. Quanto maior for a nossa fé e quanto mais nossas súplicas estiverem de acordo com a vontade de Deus, mais Ele ficará feliz em atendê-las.  E, esse é o motivo pelo qual muitas vezes oramos e não obtemos o que pedimos.

Segundo o dicionário oração quer dizer: prece, pedir, rogar, elevação da alma a Deus, invocação dirigida a Deus. Quando oramos, verdadeiramente elevamos a nossa alma a Deus. Quando nossa alma está em frangalhos somente um Pai amoroso, e misericordioso pode nos consolar e livrá-la de tanto sofrimento.

A oração nos dias de hoje deixou de ser algo diário, que faça parte de nossa rotina, como comer, tomar banho, escovar os dentes ou dormir. Só nos lembramos de orar quando algo não vai bem em nossas vidas. Quando isso acontece logo nos lembramos de Deus, assim como uma criança se lembra dos pais num momento de aflição. Até mesmo os discípulos de Jesus dormiram quando o Senhor os pediu que orassem com Ele. Jesus orou com tanto fervor, que suou gotas de sangue que corriam até o chão. Lc. 22-44. Enquanto isso seus discípulos dormiam, e deixavam de demonstrar sua devoção a Cristo. Será que estamos agindo como os discípulos? Será que dormimos quando deveríamos estar orando e glorificando ao Senhor? Será que agimos como crianças e só nos lembramos de Deus nos momentos aflitivos?

Os discípulos também pediram que Jesus os ensinasse a orar. Lc.11.1. O Mestre era o exemplo vivo do homem de oração. Um exemplo a ser seguido por eles. 


Peçamos ao Senhor um coração novo, que só façamos a vontade de nosso Pai que está nos céus, pois se assim o fizermos: “Tudo o que pedirmos, receberemos, tudo o que buscarmos, acharemos e em todas as portas que batermos elas se abrirão. Mt. 7-7.

Que o Senhor nos ensine como devemos orar, e também nos ajude a orar mais. Honra e Glória ao Senhor!





quarta-feira, 27 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 27 – Novo nascimento



Hoje, vamos falar um pouco sobre o Novo Nascimento. Mas o que será o Novo Nascimento? Um milagre? Muitos podem perguntar.


Jesus durante o seu ministério terreno, precisou responder a Nicodemos que o Novo Nascimento não era retornar ao ventre materno sendo velho, e novamente nascer. Nicodemos era um líder religioso, um fariseu que fazia parte da poderosa corte dos judeus, o Sinédrio, e um dos poucos que creram em Jesus.


Jesus explicou a ele que o Novo Nascimento dava ao homem um passaporte para o Reino de Deus, e que esse Reino não estava restrito aos judeus, a país, pessoa, raça, a ninguém. Jesus deixou bem claro que o Reino é pessoal, e que para ingressar nele basta apenas arrependimento e renascimento espiritual. Nicodemos estava acostumado à Palavra de Deus e em Ezequiel 36.25-26, o Senhor Deus falou: “Então, espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne.” 


Tudo isso se cumpriria em Cristo. Não importa o quão impura nossa vida é agora, Deus nos oferece um novo começo. Podemos ter nossos pecados perdoados, recebermos um novo coração do Pai e ter o Espírito Santo dentro de nós, para isso basta que aceitemos a promessa de Deus. Não devemos remendar nossa antiga vida, quando podemos ter uma nova. Jesus ressuscitou para dar salvação a todo o povo por meio da renovação e do renascimento espiritual.


Respondendo a pergunta: O Novo Nascimento nada mais é do que uma mudança muitas vezes radical, no comportamento ético, moral e nos nossos ideais de vida. É transformar nosso caráter, e deixá-lo bem parecido com o de Jesus. Parece um milagre? Pode parecer, mas não é. É possível ao que quer, e crê. Vamos tentar?


Que o Espírito Santo de Deus nos ajude a discernir que essa renovação e transformação espiritual, valem a pena.




terça-feira, 26 de abril de 2011

Devocional – dia 26 – Misericórdia – Bem aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia. Mt. 5.7


Misericórdia, deriva da junção de duas palavras: misere + cordis. A primeira significa ter compaixão de, ou seja, sentir com o coração do outro. É o mesmo que aproximar-se tanto de alguém que sofre e sentir o que ela está sentindo. A segunda palavra cordis, quer dizer coração. Misericórdia então quer dizer: ter compaixão, estar em sintonia, sentir o que o outro sente com o coração.

Também quer dizer: piedade, graça ou perdão concedido por bondade pura, compaixão solícita pela desgraça alheia. É também um atributo de Deus que o leva a perdoar as faltas e os pecados dos homens. E o que seria de nós sem a misericórdia divina? O Senhor tem prazer em nos perdoar, mesmo que tenhamos cometido faltas que aos olhos dos homens seriam imperdoáveis. A misericórdia do Senhor dura para sempre.


O maior exemplo de pessoa misericordiosa que temos é o de Jesus, que morreu em nosso lugar, sendo nós ainda pecadores. Ela não tem limite. Não se pode mensurar. Que possamos ser misericordiosos com nossos irmãos, sentir com o nosso coração o sofrimento do outro, assim como Deus teve misericórdia de nós e enviou seu único Filho para que morresse por nossos pecados. “Misericordioso e piedoso é o Senhor; longânimo e grande em benignidade. Não repreenderá perpetuamente, nem para sempre conservará a sua ira. Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos retribuiu segundo as nossas iniqüidades.” Sl. 103.8.9-10.


Ao Senhor honra e glória!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Devocional Diário – 25 – Longanimidade


Traduzindo a palavra longanimidade temos o seguinte: Caráter da pessoa que suporta as adversidades e que prossegue no seu empenho, apesar dos obstáculos. Que tem grandeza de ânimo, benigno, complacente, indulgente, corajoso, generoso, paciente, resignado, ou seja, é uma pessoa que tem um longo ânimo.

Nos dias de hoje, o nosso ânimo se tornou muito pequeno para tudo. Brigamos no trânsito, no trabalho, com nossos filhos, com os vizinhos, com amigos e até com quem não conhecemos. É como diz o ditado popular: “estamos com o pavio curto.” E onde fica o longo ânimo que o apóstolo Paulo pregou ao povo da Galácia? Longanimidade faz parte das virtudes que obtemos quando permitimos que o Espírito Santo de Deus habite em nós. O fruto do Espírito é a obra espontânea do Espírito Santo dentro de nós. Para que o fruto do Espírito cresça em nós, devemos nos unir a Ele. Devemos conhecê-lo, amá-lo, lembrá-lo e acima de tudo imitá-lo. A Palavra de Deus nos fala claramente que só conseguiremos dar frutos se verdadeiramente permitirmos que o Espírito Santo venha fazer morada em nosso coração.

“Estai em mim, e eu, em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós, as varas; quem está em mim, e eu nele, este dá muito fruto, porque sem mim nada podereis fazer.” Jo 15.4-5. Longe de Jesus, nossos esforços para frutificar serão inúteis. Precisamos estar perto de Jesus como o ramo precisa estar ligado à árvore.

Que o Senhor possa nos abençoar com os frutos do Espírito, porque todos eles fazem parte do caráter do cristão.

domingo, 24 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 24 – Justiça.



            A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade.” Sl 119.142.

Segundo o dicionário justiça é o mesmo que: equidade, bondade, prática e exercício do que é direito. Retidão. 


A justiça é a firme e constante vontade de dar aos outros o que lhes é devido. Ela deve ser colocada em prática sempre. Quando assinamos um contrato com alguém, por justiça devemos cumprir esse contrato. Se pedirmos emprestado algum objeto a alguém, devemos devolvê-lo no tempo estipulado e em perfeito estado. Quando compramos algo, é justo que paguemos por ele. É a justiça que forma as bases do sétimo, oitavo e do décimo mandamento da Lei de Deus. Não devemos furtar, levantar falso e nem cobiçar as coisas alheias, porque isso fere a virtude da justiça. Ela é uma virtude moral. Ela regula nossa convivência, possibilita o bem comum, defende a dignidade humana, respeita os direitos humanos. “Dela brota a paz e o primeiro passo do amor é a justiça, porque amar é querer o bem do outro.” (Brandes Orlando).
            “Ele terá prazer em obedecer ao Senhor. Ele não julgará pela aparência, nem com base no que ouviu, mas fará justiça aos necessitados e defenderá aos pobres. Com sua palavra como se fosse um cajado ferirá a terra; e matará o perverso com um sopro de sua boca.” Is. 11.3-4 Se quisermos um tratamento justo, devemos agir com justiça e equidade com os outros. Não devemos julgar os outros, só pela aparência. Somente Jesus Cristo pode ser perfeitamente justo em seu julgamento. Devemos deixar de lado o egoísmo e tratar a todos com justiça.
            Se quisermos ser tratados com justiça devemos tratar aos outros com a mesma justiça que gostaríamos que nos tratassem. Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos.” Mt. 5-6.



Principais acontecimentos da semana da paixão de Cristo.


A título de informação, vamos falar hoje sobre os principais acontecimentos da semana da paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo:
            No domingo antes da páscoa, Jesus entra triunfalmente em Jerusalém. Na segunda-feira, Ele purifica o Templo. Na terça-feira sua autoridade é desafiada no Templo. Ele ensina seus seguidores por meio de parábolas e confronta os líderes judeus. Os gregos pedem para ver Jesus. Jesus faz o discurso no Monte das Oliveiras. Judas concorda em trair Jesus.  Na quarta-feira, não há registro bíblico do que Jesus fez nesse dia. Provavelmente permaneceu em Betânia com os seus discípulos. Quinta-feira aconteceu à última ceia e Jesus fala aos discípulos no Cenáculo. Jesus sente grande aflição no Getsêmani, e Ele é traído e preso. Sexta-feira, Jesus é julgado pelos judeus e autoridades romanas, e é negado por Pedro. Ele é crucificado. Domingo, Jesus ressuscita. Aleluia! Está conosco, e quer nos ajudar em tudo o que precisarmos, basta pedirmos com fé.

sábado, 23 de abril de 2011

Informação

A todos os leitores do blog Teologia Prática:
Nos dias 20 e 21 de abril, não foi possível postar o devocional diário. Motivo: estava em trânsito e sem possibilidade de postar nenhum texto. Espero em Cristo Jesus que minha vida volte ao normal daqui para frente.  
Ao Senhor honra e glória!

Devocional Diário – dia 23 – Integridade.



“Longe de mim que eu vos justifique, até que eu expire, nunca apartarei de mim a minha sinceridade.” Jó 27-5.

Ser íntegro quer dizer: intacto, inteiro, aquele que age com equidade, que é reto, honesto, imparcial, deve agir com inteireza moral, honrado, que tem comportamento exemplar.

A Bíblia Sagrada nos relata histórias de diversas pessoas íntegras, e que mantiveram a sua integridade apesar de muitas dificuldades e provações. Porém uma das que mais se destaca é a de Jó. O próprio Deus disse sobre Jó: “Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus, desviando-se do mal, e que ainda retém a sua sinceridade.” Jó 2-3.

Jó se enquadra em todos os adjetivos relacionados à integridade. Ele apesar de todas as provações, e com “amigos” que não o ajudaram muito, não perdeu sua honradez e integridade. E não atribuiu a Deus falta alguma. Manteve-se irredutível apesar da esposa e dos amigos que possuía. Jó por sua integridade glorificava ao Senhor, pelo que ele representava em sua vida e não pelo que ele lhe dava.

Outro exemplo de integridade foi o de João Batista, ele veio para anunciar a vinda de Jesus, e quando Jesus já estava conosco, ele teve que direcionar seus seguidores a Jesus, porque ele deveria diminuir para que Jesus crescesse. Jesus testou a integridade de João Batista e ele foi aprovado no teste. Existem muitos outros exemplos de integridade na Bíblia, que gastaríamos páginas e páginas relatando. Acho que já deu para vocês entenderem o que o Senhor quer de nós. Ele quer simplesmente que sejamos íntegros, honestos e porque não dizer, perfeitos, santos. “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: ‘Sede santos, porque eu sou santo”. I Pe 1-15.



sexta-feira, 22 de abril de 2011

Cristo ressuscitou Aleluia! Ele está no meio de nós.




“E, bem cedo, no primeiro dia semana, as mulheres levaram os perfumes e as especiarias aromáticas ao sepulcro. E verificaram que a enorme pedra que fechava a entrada havia sido rolada para um lado. Quando entraram, não encontraram o corpo do Senhor Jesus! Ficaram ali, assustadas procurando imaginar o que poderia ter acontecido com o corpo. De repente apareceram dois homens, vestidos de mantos brilhantes como a luz do sol. Então os homens perguntaram: “Por que vocês procuram entre os mortos àquele que está vivo? Ele não está aqui! Ressuscitou! Não se lembram do que Ele disse a vocês na Galileia? ‘É necessário que o Filho do Homem seja entregue ao poder dos homens pecadores, seja crucificado, e ressuscite ao terceiro dia?” Elas então se lembraram das palavras de Jesus. Lc. 24.1-8.
Em nosso calendário hoje se comemora a paixão e morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, Àquele que veio ao mundo se fez homem e morreu por nossos pecados. Existe em nosso país uma grande diversidade de celebrações em função desta data. Os católicos fazem grandes procissões onde muitas pessoas acompanham um cortejo fúnebre relembrando a morte de Jesus. Nós cristãos evangélicos, damos maior ênfase a ressuscitação de Jesus. Sabemos que Jesus morreu pregado em uma cruz, isso é fato consumado, mas sabemos também que Ele não mais está pregado na cruz do calvário. Ele é vivo, Ele está no meio de nós, Ele cura, Ele ressuscita mortos não só corporalmente como também espiritualmente, e Ele enviou o Espírito Santo Consolador para estar conosco nos ajudando a discernir tudo o que está escrito na Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.
Jesus está ativo no mundo e vivo em nossos corações. Podemos ver sinais de seu poder ao nosso redor. A ressurreição de Jesus é o fato principal da história cristã, ela é inigualável. Somente o cristianismo tem um Deus que se tornou humano, que literalmente morreu por seu povo e ressuscitou com poder e glória para governar a sua igreja para sempre, além de ter nos ressuscitado com Ele. “E nos ressuscitou juntamente com Ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus.” Ef. 2-6. Existe amor maior do que este? Aproveitem o feriado para meditarem sobre esse assunto.
Que o seu domingo seja muito feliz! Celebrem a ressurreição de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

Devocional Diário – dia 22 – Honestidade.


“O Senhor repudia as balanças desonestas, mas os pesos justos lhe dão prazer.” Pv. 11-1.

Segundo o dicionário ser honesto significa: honradez, aquele que observa rigorosamente os deveres, da justiça, e da moral. Justo, razoável, virtuoso, que tem caráter, íntegro, honrado, reto. Realmente são muitos os adjetivos para qualificar aquele que prima pela honestidade.

Em se tratando de honestidade não existe meio termo. Sabemos muito bem o que é justo e honesto e o que é injusto e desonesto. Algumas vezes nos sentimos pressionados a ser desonestos, a fim de progredir e aumentar os nossos lucros, mas se quisermos obedecer e agradar a Deus não existe meio termo. O Senhor nos exige honestidade em tudo.

A prática da honestidade e da justiça nem sempre é fácil, mas é exigida por nosso Deus. Nada nem ninguém podem justificar a desonestidade.

Temos que notar também, que os que não são cristãos que convivem conosco, estão sempre nos observando para ver se nos pegam em alguma prática não cristã, ou atos desonestos. “Tomem cuidado com o modo como vocês se comportam entre os seus semelhantes não cristãos; porque assim, mesmo que eles acusem e falem mal de vocês, acabarão louvando a Deus pelas boas obras de vocês no dia de sua vinda”. I Pe. 2-12. Se nossas ações forem irrepreensíveis, até as pessoas hostis, aquelas que nos criticam ao final louvarão a Deus. Devemos ser exemplos, tanto para quem conhece a Jesus como também para os que não o conhecem. É muito importante que elas possam ver Jesus em nós e a honestidade é um dos atributos que chama positivamente a atenção dessas pessoas. Já o contrário, produz o efeito oposto. Sejamos honestos com todos, conosco mesmos e acima de tudo com Deus.  Podemos nos enganar e até as outras pessoas, mas jamais poderemos enganar nosso Pai que está nos céus e que sabe tudo o que estamos fazendo diariamente. É preciso ser honestos em quaisquer circunstâncias, isso agrada a Deus. “Não há nada escondido que não venha a ser descoberto, ou o que está oculto que não venha a ser conhecido”. Lc. 12-2.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 19 – Gratidão. A gratidão é a memória do coração. (Antístenes)


Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu único Filho, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Jo 3-16.

Hoje vamos falar um pouco sobre a gratidão. Principalmente a gratidão ao Senhor Deus, aquele que nos criou e nos ajuda todos os dias desde o momento de nosso nascimento, e enviou o seu único filho para morrer por nós. Segundo o dicionário, gratidão é: O ato de reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou um benefício, um auxílio, um favor etc. Quem neste mundo nos prestou tantos benefícios e auxílios e que é digno de toda gratidão? Deus o nosso criador. Todos os dias, vemos em nossas vidas os benefícios e as providências que ele toma em nosso favor. Ele é um pai amoroso que quer somente o bem de seus filhos.

Como anda o nosso sentimento de gratidão para com Deus e também para com nossos irmãos? A Bíblia nos conta no Evangelho de Lucas, a história de dez leprosos que foram curados pelo Senhor Jesus. Após obterem a cura, partiram e somente um retornou com gratidão, lançando-se aos pés de Jesus para agradecer pela cura. Então Jesus perguntou: “Não foram dez homens que eu curei? Onde estão os outros nove? Só este estrangeiro voltou para louvar a Deus"? E, ainda por cima o que voltou com gratidão no coração era um samaritano. Lc. 17.11-19.  

Será que devemos julgar os outros nove que não voltaram para agradecer a Jesus pela cura? Não. Nós também muitas vezes nos esquecemos de agradecer a Deus as dádivas recebidas. Esquecemos também do sentimento de gratidão para com nossos semelhantes, até de nossos familiares. Achamos que eles não fazem mais do que a obrigação de nos prestar socorro. Mas não é bem assim. Devemos demonstrar gratidão todos os dias a todas as pessoas que nos ajudam, porque "a gratidão é a memória do coração". E principalmente a Deus. A gratidão nos transforma, abre o nosso coração para o nosso Criador. O contrário da gratidão é o sentimento de insatisfação, queixa, e murmuração. Por mais insatisfeitos que possamos estar com alguma coisa, sempre haverá algo que teremos que agradecer. Se a situação financeira está ruim, estamos vivos e devemos agradecer por isso.


Se agradecermos aos que nos rodeiam, estamos aumentando o amor que existe entre nós e eles, e ao expressarmos nossa gratidão a Deus, nós podemos experimentar a vida em sua total plenitude.

Quero agradecer a Deus por tudo o que Ele representa em minha vida. E especialmente, hoje que é o trigésimo terceiro aniversário de minha querida filha. Quero te dizer Senhor, que sou muito grata por tudo o que tenho recebido de ti e pela filha maravilhosa que o Senhor me deu. Obrigada meu Deus! Eu serei eternamente grata por esse presente.

Que possamos ser como o samaritano que voltou para agradecer a Jesus pela cura obtida, e orarmos sempre para não agirmos como os nove que não voltaram.

Honra e glória somente a Ti, Senhor!


segunda-feira, 18 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 18 – Fé


Hoje falaremos da fé. Segundo o dicionário é a adesão absoluta do espírito àquilo que se considera verdadeiro. Fidelidade, crença inabalável, que não tende a razões ou argumentos. Na palavra de Deus, fé é: “o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem.” Em outra versão da Bíblia Sagrada está escrito da seguinte maneira: “é a certeza de que o que nós esperamos está nos aguardando e a prova de que existem coisas que não podemos ver adiante de nós.” Hb. 11-1. Ela é a primeira das virtudes que nos é concedida por Deus através do Espírito Santo. Depois temos a esperança e o amor, sendo que o maior destes é o amor como está escrito em I Co. 13-13.

Todos nós possuímos a fé natural, até mesmo um ateu a possui. Eles acreditam que vão chegar ao trabalho, e que voltarão para casa no fim do expediente, etc., mas isso não é certeza. A fé sobrenatural explica isso. Quando cremos que Jesus pode nos curar, se temos a fé natural só cremos, porém se nossa fé é sobrenatural temos a certeza de que se o Senhor o quiser Ele nos cura.

E Ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e fique livre do seu sofrimento.” Mc. 5-34. Jesus também nos alerta para o tamanho da nossa fé. “Jesus respondeu: “Se tivessem a fé do tamanho de um grão de mostarda, ela seria suficientemente grande para dizer a esta amoreira: ‘Arranque-se e plante-se no mar'; a ordem de vocês seria logo obedecida!”Lc 17-6. Portanto, queridos, não sejamos como os ateus que só possuem a fé natural, somos filhos de Deus feitos a Sua imagem e semelhança. Se Jesus nos diz que nos dias de hoje, podemos curar enfermos, devemos ter fé e a certeza que realmente podemos curar. “E para que tivessem o poder de curar as enfermidades e expulsar os demônios.” Mc 3-15. Que o Senhor nos abençoe e nos ajude a sermos pelo menos como o centurião que creu que Jesus poderia curar seu servo, sem mesmo se deslocar até a sua casa. “Então Jesus disse ao oficial romano: Vá para sua casa. Aquilo em que você tinha fé, já aconteceu. E o rapaz foi curado naquela mesma hora.”  Mt. 8.13.

domingo, 17 de abril de 2011

Devocional Diário – dia 17 – Esperança


O nosso devocional de hoje, falará sobre a: esperança. No dicionário, quer dizer: expectativa, coisa que se espera, confiança. Por meio da esperança nós sempre esperamos e confiamos nas promessas de Deus para nossas vidas. A esperança não é resultado de nossa vontade, ela é sobrenatural, pois não conseguimos explicá-la através de palavras. O intelecto é incapaz de traduzi-la. Porém, conseguimos essa  explicação através do sobrenatural de Deus. O contrário da esperança é o desespero, quando não conseguimos ver esperança em nada em nossas vidas e também nas promessas de Deus para ela. Dessa forma mergulhamos em algo sem sentido o que nos leva a um abismo de uma vida sem rumo.

A esperança tem essa capacidade: dar rumo as nossas vidas. Ela nos protege contra o desânimo, ela é um lenitivo quando nós pensamos esmorecer em nossos esforços para as lutas. Ela é a nossa âncora de salvação, quando pensamos que tudo está perdido: “Essa esperança segura é para as nossas almas uma âncora forte e de confiança, que nos liga ao próprio Deus, do outro lado do véu no santuário interior do céu.” Hb 6-19 “E a esperança não nos decepciona, porque Deus derramou o seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que Ele nos deu”. Rm.5-5.


A esperança é uma das virtudes que nos é dada diretamente por Deus, através de seu Santo Espírito. Junto com o amor e a fé, a esperança deve ser praticada diariamente, desde as coisas mais simples, como também nas coisas mais difíceis de conseguir. Para isso, devemos: “Ficar alegres na esperança, sermos pacientes nas dificuldades e sempre perseverantes na oração.” Rm.12-12.


Que o Senhor nos ajude  a nunca abandonarmos a esperança da vida eterna. 

Devocional Diário – dia 16 – Domínio Próprio.


“Um homem que não sabe controlar as suas emoções e vontades é como a cidade com seus muros derrubados”, ou seja, sem domínio próprio o homem fica totalmente desprotegido tal qual uma cidade que tem seus muros derrubados pelo inimigo. Pv. 25-28.

O Domínio Próprio é um fruto que o Espírito Santo nos concede quando nos deixamos dominar por Ele. Se não é o mais importante, é um dos, pois se tivermos Domínio Próprio, fica muito mais fácil podermos colocar em prática os outros. Para que tenhamos bondade, benignidade, mansidão, paz, fidelidade, amor, fé, paciência, alegria etc., precisamos, antes de qualquer coisa dominar nossas tendências da natureza humana, que estão do lado oposto aos frutos do Espírito.

Se passarmos a viver pelo poder do Espírito Santo e seguirmos a Sua liderança em todos os aspectos de nossas vidas, não só obteremos o Domínio Próprio como também todos os outros frutos que o Espírito coloca ao nosso dispor.

Que o senhor nos ajude a termos total domínio sobre nossa natureza humana, para que o amor possa brotar de nossos corações. “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor...” I Co 13-1.

            

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Devocional Diário – Dia 15 – Bondade


A carta de Paulo aos gálatas faz referência às obras da natureza humana ou da carne, e também aos Frutos do Espírito. Ele diz que quando o Espírito Santo controla as nossas vidas Ele produzirá em nós esta espécie de fruto: amor, alegria, paz, paciência, mansidão, bondade, benignidade, fé, e domínio próprio. Falaremos hoje, sobre a bondade.

Bondade significa: disposição natural que nos leva a fazer bem e nunca mal. Boa índole, brandura, benevolência. E, benevolência significa: bondade, benignidade, afeto, vontade de fazer bem. Mas trocando em miúdos, o que significa agir com bondade? Agir com bondade é que o deveríamos fazer todos os dias a todos os que nos cercam, sejam eles familiares ou não. O Senhor se agrada disso. Ele deseja que todas as nossas ações sejam cercadas sempre de muita bondade, de muita disposição para fazer o bem e nunca o mal. Jesus agiu assim, enquanto esteve no meio de nós e ainda nos dias de hoje continua agindo dessa maneira, quando nos consola através de Sua Palavra.

A Palavra de Deus nos mostra isso tanto no Antigo, quanto no Novo Testamento. Nela existe consolo, compaixão e muita bondade. “Você não precisa ter medo, porque eu sou o teu Deus. Eu lhe darei forças; eu vou ajudar e manter você em pé, firme, com a minha vitoriosa mão direita.” Is. 41-10.

O que mais precisamos? Esse é o nosso Deus, e por isso devemos sempre agir com bondade em todos os momentos de nossa vida, pois o Senhor nos quer bem e cuida de nós com carinho e muita benevolência. Vamos deixar que o Espírito Santo controle nossas vidas para que a bondade seja produzida em nós, e frutifique em benefício de muitos.

Que Jesus nos abençoe sempre.

Devocional diário – dia 14 – Amor


O Apóstolo Paulo em sua carta ao povo de Corinto os esclarece acerca de muitas coisas, incluindo a importância do amor. “Se eu tivesse o dom de falar em outras línguas sem tê-las aprendido, e se pudesse falar em qualquer idioma dos homens ou dos anjos e, no entanto, não tivesse amor eu seria como o sino que ressoa ou um címbalo que estaria só fazendo barulho.” E numa outra versão: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.” I Co 13-1.

O que Paulo está querendo dizer com essas palavras? Simples. Que não adianta absolutamente nada tudo o que fizermos inclusive, até dar tudo o que possuímos aos pobres ou até entregarmos nossos corpos para serem queimados vivos, contudo se não temos amor isso não teria valor algum. O amor é paciente, e bondoso, nunca é invejoso ou ciumento, nunca é presunçoso, nem orgulhoso, nunca é grosseiro, nem egoísta. Não é irritadiço, nem melindroso. Não guarda rancor. Tudo sofre, sempre crê, sempre espera o melhor, tudo suporta.

Qual é a nossa posição com relação a isso? Será que entendemos tudo o que Paulo diz sobre o amor? Ou para nós é apenas mais uma Palavra bonita da Bíblia? Como vai o nosso amor para com os nossos queridos? Filhos, pais, maridos, esposas, familiares, amigos em geral, e até com aqueles que não são familiares ou amigos, mas são irmãos em Cristo? Meditemos nas afirmações de Paulo, e nos esforcemos para agir com amor, no verdadeiro sentido da palavra.

Que Jesus nos abençoe e nos ajude a entender a importância do amor.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Devocional Diário – Dia 13 – Confiança – O Senhor é o meu escudo.


“O Senhor é o lugar seguro onde me escondo; é o escudo que me protege. Confio completamente na sua Palavra”. Sl 119-114.

Quantos de nós temos a certeza, de que o Senhor é o nosso escudo e o nosso esconderijo? Quantos de nós sentimos que através desse escudo o Senhor nos protege e nos guarda de todo mal? E quantos de nós confiamos completamente e cegamente no Senhor? O salmista tem, sente e confia cega e plenamente em Deus. O que nos difere do salmista? A intimidade com o Senhor. Só quem é íntimo de outrem pode dizer com segurança tudo o que Davi diz sobre o nosso Deus. Ele é o meu escudo, é o lugar seguro onde posso me esconder de todo perigo, nada de mal pode me alcançar, pois o seu escudo impede que algo ruim me alcance. E finalmente ele diz que confia plenamente na sua Palavra. É desta maneira que o Senhor quer que confiemos n’Ele.

Que o Senhor nos ajude a sermos pelo menos um pouco parecidos com Davi.
            

terça-feira, 12 de abril de 2011

É melhor obedecer do que sacrificar.



Em meu devocional o Senhor falou ao meu coração, sobre a obediência. No dicionário, quer dizer: Cumprimento da vontade alheia, submissão à autoridade legítima. Em Sua Palavra o Senhor me mostrou o exemplo de submissão e obediência que é Jesus. “E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz.” Fl. 2-8.

Podemos ver nos dias de hoje a falta de obediência de muitos. Começa na infância. Crianças e adultos precisam aprender a ser obedientes. Tanto para um, quanto para o outro existe sempre uma hierarquia que precisa ser respeitada.

Existem alguns exemplos de obediência incondicional na Bíblia e um dos que mais se sobressaem é o de Abraão, que obedeceu na íntegra ao que Deus o mandou fazer, ou seja, sacrificar seu próprio filho. Muito maior que isso só mesmo a total obediência de Jesus ao seu Pai.

Como anda nossa obediência? Principalmente nossa obediência para com Deus. Ser obediente nos traria muitas vantagens e a nossa vida seria diferente e com certeza muito mais fácil de ser vivida. Vejam o exemplo de Pedro e dos outros discípulos do Senhor. Após ter ressuscitado, Jesus apareceu aos discípulos dizendo a eles que jogassem a rede do lado direito do barco que eles conseguiriam pescar muitos peixes. Mesmo cansados e desiludidos por não terem pescado nada, obedeceram ao Senhor e puderam encher a rede de peixes. Praticando a obediência todos os dias, teríamos o Senhor Deus muito mais próximo de nós, nos ajudando. O Senhor quer que sejamos felizes e para isso é preciso que obedeçamos a Ele através da sua Palavra. Para o Senhor é muito mais importante nossa plena obediência, do que fazermos sacrifícios de qualquer espécie.

Samuel respondeu: “Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que obedecer é melhor do sacrificar.” I Sm.15-22.

Tenho certeza que preciso me esforçar mais para melhorar, e cada vez mais realizar a vontade de meu Pai que está nos céus. Tenho muito a agradecer ao Senhor por falar comigo através de Sua Palavra, e agradeço também porque posso compartilhar com outros que também estão interessados em fazer a Sua vontade.

Que o Senhor nos abençoe e nos ajude a nos tornamos mais obedientes.



sábado, 9 de abril de 2011

Espera, e confia no Senhor!


Quero compartilhar com vocês, o que Deus através de sua Palavra me falou hoje pela manhã: “Espera no Senhor, anima-te, e ele fortalecerá o teu coração: Espera, pois, no Senhor.” Na Nova Bíblia Viva que utiliza a linguagem de hoje, podemos ler o mesmo texto assim: “Espere pela ação do Senhor. Seja valente e encha o seu coração de coragem. Espere com confiança no Senhor!”. Sl 27-14.

O salmista Davi, nos estimula a esperarmos no Senhor, pois Ele não nos faltará. Exorta-nos a sermos valentes, corajosos, e confiantes que Ele fortalecerá o nosso coração. Posso afirmar que Deus todos os dias nos reserva algo muito especial e, é sempre o que nós estamos precisando. Tenhamos confiança no Senhor Deus, pois Ele nunca desampara os que lhe são fiéis. “Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor.” Jr 17-7. Apenas, creia e espere!

Tenham um lindo e abençoado fim de semana.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

A agenda de Deus.


Quase todos nós temos uma agenda para anotar nossos compromissos. Usamos a agenda diária com tudo o que faremos durante os próximos dias e semanas, e principalmente no final do ano enchemos a agenda com promessas que pretendemos cumprir no decorrer do ano. Às vezes nos programamos para realizar coisas que simplesmente não acontecem, seja por falta de tempo, oportunidade ou muitas outras razões. Mas, muitas vezes, é porque Deus não permitiu que elas acontecessem.

Devemos possuir uma agenda (principalmente se somos esquecidos), mas sempre que a organizarmos devemos pedir a orientação de nosso Criador, quanto à realização de todos os nossos projetos, para aquele dia, semana, mês e ano. Tudo deve ser submetido à apreciação de nosso Deus, pois somente Ele sabe o que é melhor para todos nós.

Muitas vezes nos atrasamos em nossos compromissos e nos estressamos com isso, porém devemos nos lembrar de que o Senhor pode nos atrasar simplesmente porque quer nos proteger de algo nocivo, de algum mal que poderia vir a nos acontecer.

Resumindo a idéia: Deus tem a sua própria agenda para nós. A nossa é falha e dependente de mil coisas. A de Deus é infalível, pois nasce da sua infinita e amorosa visão.

Não se frustre caso seus planos não deem certo. Os planos de Deus para a sua vida jamais vão morrer. Cada um deles será cumprido se tão somente não nos desviarmos dos caminhos do Senhor. “Olhai, pois, que façais como vos mandou o Senhor vosso Deus; não vos desviareis nem para a direita nem para a esquerda.” Dt. 5-32. Ore para ter sabedoria para seguir os sinais da agenda de Deus.

sábado, 2 de abril de 2011

Você é como Zacarias ou Maria a mãe de Jesus?


Olá gente amiga,

Desde o dia 18 de março que não nos comunicamos. Nosso último contato foi uma convocação de urgência para orarmos pelos nossos irmãos do Japão. Que o Senhor abençoe a todos que se predispuseram a orar.

Falaremos de fé nessa postagem. Qual é a sua posição em relação a crer no que Deus pode fazer por você? Vamos ler essa pequena, bela e significante história.

Zacarias era sacerdote no tempo do rei Herodes. Isabel, a mulher de Zacarias, era estéril. O casal era cumpridor dos mandamentos do Senhor e eram muito justos perante Deus. Lc 1-5. Ao adentrar o templo para oferecer o incenso, o anjo Gabriel apareceu para lhe dar alegres notícias. Isabel daria a luz a João Batista, àquele que viria antes para anunciar a vinda de Jesus. Zacarias duvidou e questionou o anjo acerca de suas palavras, ou seja, ele não creu. E por esta razão ficou mudo até que tudo se tivesse cumprido.


Zacarias não agiu como a mãe de Jesus diante das dificuldades existentes para que desse a luz ao filho de Deus. Maria porém, creu.

Se nos dias de hoje alguém duvidasse de Deus e ficasse mudo por uma única vez, não mais duvidaria. Porém, se Ele nos castigasse tal como nos tempos passados, os profissionais da área de fonoaudiologia não dariam conta de tanta gente muda. Desde a criação do mundo não cai uma folha da árvore sem a permissão de Deus e ainda hoje é assim. 

E você? Crê que o Senhor pode te encher de bênçãos? Você vive correndo atrás delas ou pede, ora e espera no Senhor que as bênçãos te alcancem? Você é mais parecido com Zacarias ou com Maria a mãe de Jesus? Posicione-se com relação a isso, e verá que grandes coisas o Senhor deseja fazer por você, basta apenas crer.
Real Time Web Analytics Real Time Web Analytics